Navalshore

Valor do frete para a safra de grãos deve subir

Caminhão descarrega no Porto de Paranaguá: estrutura pronta.
O setor de transportes paranaense está otimista em relação ao impacto da safra 2009/2010 em suas atividades, nos próximos dois meses. A expectativa é que as colheitas de grãos, que estão em seu início no Estado, ajudem o segmento a recuperar as perdas da safra passada, quando o valor dos fretes foi reduzido em cerca de 10% em relação ao período imediatamente anterior.
Os preços, no entanto, devem ficar mais salgados: empresários chegam a estimar que o valor dos serviços aumente em até 60%. Em Paranaguá, a administração do porto informa estar preparada para um movimento 30% maior no embarque de soja.
“O transporte de grãos é baseado na oferta e na procura. E a oferta deve ficar aquém da demanda”, explica o diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga no Paraná (Setcepar), Laudio Luiz Soder, que também dirige uma empresa do ramo em Palotina (na região Oeste).
No período, ele informa que os preços para o transporte de uma tonelada de soja, da região Oeste até Paranaguá, podem atingir até R$ 80 a média - durante a entressafra, é de R$ 48. A queda nos preços, na safra passada, se deveu, conta ele, ao deslocamento da oferta de transporte do Sul para o Centro-Oeste do país.
Segundo Soder, já nas duas próximas semanas os trabalhos devem estar a pleno vapor, ficando assim pelo menos até o final de março. “Nessa época há procura com mais urgência. Costuma até faltar caminhões”, afirma.
Para contornar a possível falta de veículos, ele diz que as empresas estão contratando caminhões terceirizados para completar suas frotas, que já estão sendo direcionadas aos polos de produção agrícola. Para ele, a qualidade das estradas não é das melhores, mas ao menos não piorou em relação à safra passada.
Porto
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) informou, através de sua assessoria de imprensa, que exige que todos os caminhões com destino ao Porto de Paranaguá tenham suas cargas negociadas previamente.
Além disso, é necessário que haja espaço nos armazéns e que os navios para receber as mercadorias já estejam na programação de atracação. As medidas, instituídas em 2004, devem ajudar, segundo a Appa, a evitar filas.
Para o embarque da safra 2009/2010, estimado, no caso da soja, em ser 30% maior que na safra anterior (na qual já houve um aumento de 14,3%), a expectativa do porto é de tranquilidade.
De acordo com a Appa, o Corredor de Exportação de Granéis pode armazenar de mais de 1,2 milhão de toneladas e embarcar 13,4 mil toneladas por hora. E, com a conclusão da dragagem emergencial, informou a Administração, navios com capacidade superior a 50 mil toneladas, que no ano passado tiveram que restringir em até 10% o volume de carga embarcada, poderão agora deixar o porto com carga plena.(Fonte: O Estado do Paraná/Helio Miguel)


Pesa

        Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios