Vale quer solucionar gargalo ferroviário em BH

O presidente da Vale, Roger Agnelli, afirmou hoje que espera iniciar "o mais rapidamente possível" as obras para a modernização da malha ferroviária na região metropolitana de Belo Horizonte. O acordo, firmado em novembro entre a companhia e o Ministério dos Transportes, prevê investimentos de R$ 137,5 milhões na região que, de acordo com o executivo, pode ser considerada o "segundo maior gargalo ferroviário do Brasil". "Queremos fazer logo a licitação e iniciar as obras o quanto antes. O dinheiro está no caixa", disse. A expectativa é de que até março de 2010 seja lançada a pedra fundamental do projeto.
Os investimentos, feitos em parceria com a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), vão reduzir as interferências das ferrovias em dez bairros da região metropolitana de Belo Horizonte, a partir da eliminação de passagens em nível e da construção de três passarelas, viadutos rodoviários, dois viadutos ferroviários e uma trincheira. O pedido de licenciamento ambiental já foi protocolado no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
De acordo com Agnelli, o acordo vem sendo negociado entre a companhia e o governo federal desde 1992. O objetivo do projeto é facilitar a movimentação de cargas entre as regiões Sudeste e Nordeste do País, além de melhorar a ligação entre as ferrovias Centro-Atlântica e a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM).
Agnelli anunciou também que a companhia pretende solucionar até o fim do ano a questão do tráfego de caminhões de minério de ferro pela BR-040, que liga Belo Horizonte ao Rio de Janeiro. "A partir de janeiro, a Vale não vai trafegar mais pela BR-040, mas pretendemos passar por vias paralelas". Os estudos de impacto ambiental deverão ser entregues em janeiro.


Marintec Navalshore