Suspensão de audiência criticada em Ilhéus

Em nota pública, o Movimento Pró-Ilhéus, que congrega dezenas de empresas e entidades, protestou contra o pedido do Ministério Público Federal para que seja cancelada a audiência pública sobre o projeto Porto Sul, marcada para o dia 15.
"Se atendido, constituirá em cerceamento ao livre debate e ao direito que os ilheenses têm em conhecer e debater sobre esta obra e os destinos que desejamos para nossa cidade," diz a nota sobre a audiência, convocada pelo Ibama.
O MPI lembra que a audiência foi anunciada há mais de dois meses e faz parte do processo de liberação ambiental do Projeto Porto Sul, "momento fundamental da participação popular e de afirmação de nossa cidadania, garantida na Constituição".
O pedido de cancelamento foi feito pelos procuradores Eduardo Hage e Flávia Arruti, do Ministério Público Federal em Ilhéus, alegando que o relatório de impacto ambiental apresentado pela Bahia Mineração ao Ibama é irregular.
Apesar do Ibama ter aceito o relatório, o MPF insiste que ele não tem informações sobre os impactos ambientais. Segundo os procuradores federais, o Rima não possui objetivos, justificativas e descrição do projeto.
O terminal portuário será construído na zona norte de Ilhéus e demandará investimentos da ordem de US$ 2 bilhões. Pelo projeto, o porto escoará toda a produção de minério de ferro da Bamin no município de Caetité, no sudoeste baiano.

Fonte:Jornal A Região