A Superintendência do Porto do Rio Grande em reunião na última sexta-feira (23) decidiu pela suspensão do uso do "overflow" na obra de dragagem do canal de acesso ao Porto do Rio Grande. A decisão foi tomada em conjunto com o Grupo de Trabalho formado pelo corpo técnico da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e representantes do consórcio entre Jan de Nul e Dragabrás.

A decisão foi tomada para realizar um experimento que permitirá avaliar se o uso do "overflow" influi no aumento de lama fluída na frente da Praia do Cassino. A Superintendência junto à Furg realiza o monitoramento constante do “bolsão de lama” que fica localizado próximo costa do balneário. O processo de "overflow" fica suspenso para que a avaliação possa ser realizada pelos técnicos da Furg.

A Superintendência avalia que mesmo que o Ibama, que é o órgão licenciador, tenha liberado o uso de "overflow", é preciso eliminar todas as dúvidas a respeito do tema para que a sociedade esteja segura da proteção ambiental imposta durante a obra. A SUPRG irá comunicar oficialmente o consórcio para que o uso do "overflow" seja suspenso de forma imediata. Por fim, a medida foi tomada para garantir que todo o processo esteja de acordo com os anseios populares de proteção ambiental e desenvolvimento sustentável.

 

O que é "overflow"?

A embarcação quando realiza a dragagem aspira uma grande quantidade de água. Para tornar o processo mais eficiente, o processo de "overflow" retira o excesso devolvendo ao ambiente parte dessa água que foi dragada. É uma operação inerente ao processo de dragagem e autorizado pelo Ibama na obra em Rio Grande e em todas as outras dragagens que ocorrem no Brasil e no mundo.

Comentários


Schottel

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Terra Firma Abratec