MSC

Projeto ambicioso

Triunfo Logística inicia operações no porto de Forno, onde investirá R$ 10 milhões em equipamentos

A Triunfo Logística inicia uma nova fase em março, com sua primeira operação no porto de Forno, em Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro. Em seu primeiro contrato, recebeu para reparos um flare de 50 metros que será instalado em plataforma do tipo FPSO da Petrobras. Nesta obra, conquistada por licitação, a Triunfo fornece toda a logística de recebimento e serviços. Ao custo de R$ 2,5 milhões, o reparo será concluído em dois meses. As operações da Triunfo no porto do Forno são o resultado de uma parceria com a FB Operadora estabelecida em dezembro passado. Pelo contrato, com duração de 60 meses, a Triunfo ocupará uma área de 12 mil metros quadrados. A operação tem como base legal a Resolução Antaq 2240, que prevê a ocupação de área portuária sem licitação por até 60 meses, desde que a empresa não tenha arrendamento no porto. A regulamentação prevê, entre outros, o atendimento a plataformas offshore.

A Triunfo tem planos ambiciosos para o porto localizado na Região dos Lagos. Segundo o diretor geral da empresa, Rogério Cáffaro, serão investidos R$ 10 milhões em guindastes e empilhadeiras para dar agilidade às operações. Funcionando como base logística, serão oferecidos serviços como troca de tripulantes, escritórios, acomodações, água e lama de perfuração, entre outros. “Seremos um posto de serviço completo”, resume Cáffaro, acrescentando que futuramente as operações no porto poderão incluir a construção de módulos e manifolds.
Um dos projetos em estudo é a futura implantação de uma planta de fluídos. Mas para instalar um posto de abastecimento será necessário superar resistências. O porto possui licenciamento ambiental, mas, funcionando em região com forte acento turístico, há restrições a manuseio de óleo e combustíveis. Um estudo do governo estadual proíbe a construção de novos portos na Região dos Lagos — exceção às instalações existentes, como é o caso do porto do Forno. Cáffaro enfatiza que não há intenção de mudar as características físicas do porto. “Queremos dar ao porto do Forno a escala que o porto tem. Não queremos ampliar além do que o porto já oferece”, diz ele.
A Triunfo tem a seu dispor no porto do Forno 200 metros de cais, que permitem a atracação simultânea de até seis embarcações de apoio marítimo. A área pode ser estendida até quase 400 metros, com o uso de barcaças em ambas extremidades do cais. O porto conta também com quebra-mar com 250 metros e três dolfins, formando mais um cais com 100 metros de extensão. Um deles poderá ser utilizado para a troca de tripulantes. Com calado de 9,3 metros, o porto não possui restrições à navegação. A expectativa é que o porto conquiste num curto espaço de tempo 60 atracações de supplies por mês.
No porto do Rio, onde opera um terminal arrendado desde meados da década de 1990, a Triunfo recebe 350 barcos por ano e chegará a 500 em breve. A empresa tem prestado serviços a barcos de apoio de até 100 metros de comprimento que utilizam o terminal como base logística de abastecimento. A área da Triunfo no porto do Rio conta com 740 metros de cais no bairro de São Cristovão. A empresa ocupa ainda terreno com 60 mil metros quadrados no bairro do Caju, na retroárea do porto.
Com perspectiva de crescimento na área de óleo e gás, a empresa pretende investir R$ 240 milhões até 2017. Em 2012 foram investidos R$ 40 milhões. Em outubro passado, fechou parceria com a Odebrecht Óleo e Gás (OOG) para juntas oferecerem serviços de reparos a plataformas semissubmersíveis no porto do Rio.  n

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios