AGI Brasil

Portuários fazem protesto no Centro de Angra dos Reis

Angra dos Reis - Na manhã de hoje (11), trabalhadores portuários de Angra fizeram uma manifestação, na Praça do Porto, no Centro. O objetivo era chamar a atenção da empresa responsável pelo porto, a Technip, para pagar alguns direitos trabalhistas à categoria. O Porto de Angra dos Reis, que nos anos 90 movimentava cargas que giravam em torno de 500 mil toneladas, viu o resultado despencar em 2009, quando não alcançou as 100 mil toneladas.
Esses números representam para o trabalhador portuário de estiva uma queda de renda na mesma proporção, e uma redução de 400% nos salários. Muitos deles, na tentativa de restabelecer a movimentação de carga portuária, que já não estava boa antes da atual empresa assumir, abriram mão de vários direitos trabalhistas, como adicional noturno, redução do valor da taxa de produção e salário-dia, entre outros.
Segundo o Sindicato dos Estivadores de Angra dos Reis, com a vinda do grupo francês Technip, que assumiu o porto recentemente, muitos trabalhadores acreditaram que essa situação mudaria. Doze meses depois, contudo, a situação não foi alterada e a empresa ainda exigiu a exclusão de direitos trabalhistas conquistados há anos.
No local, além das presenças dos estivadores estavam os lideres dos Sindicatos dos Conservadores, Rodoviários, Metalúrgicos e Vigilantes. Vários parlamentares do município também apoiaram o movimento.
Segundo o portuário Marcos Antonio Lara da Silva a principal reclamação da categoria tem sido a ausência de oferta de trabalho no Porto de Angra.
- Eu queria estar dentro de um navio e não em cima de caminhão fazendo manifestação. A Technip quer nos tornar mendigos, é triste chegar em casa e ver a nossa geladeira vazia. Um salário de R$ 930 para uma família grande não é nada e a empresa pode muito pagar por produção - disse Marcos.
A vereadora Lia (PT) garantiu que essa situação será levada para Brasília
- Estamos perdendo para o Porto de Itaguaí. Conversaremos com o presidente Lula. O que nós podemos fazer é usar da nossa força política - afirmou Lia.
No fim da tarde, o Secretário de Atividades Econômicas, Alexandre Tabet, esteve presente na reunião com a diretoria da Techinp, representando o prefeito Tuca Jordão (PMDB). Alexandre parabenizou os estivadores e se colocou à disposição dos trabalhadores. Ele disse que, se havia uma cláusula que afetava a categoria, os estivadores tinham o direito de brigar por ela.
O presidente do Sindicato dos Estivadores, Aurélio Moura, disse que o resultado do ato foi positivo. De acordo com ele, uma das cláusulas imposta pela empresa, de reduzir a quantidade de trabalhadores, foi retirada, e todas as reivindicações foram aceitas: salário-dia e adicional noturno, entre outros.(Fonte: Diário do Vale)

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios