Portos aguardam o pico da pandemia

Enquanto as notícias começam a filtrar da China que o país está se recuperando lentamente dos impactos do coronavírus, com os principais portos marítimos do país recuperando a carga de exportação e aceitando importações, outras partes do mundo ainda estão esperando o pico da pandemia.

Agora, a Europa é o ponto quente do COVID-19, com países como Itália e Espanha vendo o pior das doenças. Os impactos do COVID-19 são generalizados e, como nos países asiáticos, o primeiro a suportar o impacto do surto pode ser o comércio entre a Europa e a América do Norte, que poderá ser impactado nos próximos meses.

De acordo com o barômetro de comércio de serviços da Organização Mundial do Comércio (OMC), o crescimento do comércio global enfraqueceu no final de 2019 e no primeiro trimestre de 2020. No entanto, ainda não reflete totalmente o impacto econômico do vírus COVID-19 e pode declinar ainda mais nos próximos meses.

Publicidade

Marintec Navalshore

 

O barômetro sugere que um dos maiores declínios no comércio até janeiro foi o transporte de contêineres e, daqui para frente, esse declínio pode continuar com a expansão do COVID-19.

A Associação Americana de Autoridades Portuárias (AAPA) alertou contra o potencial declínio de carga da Europa nos próximos meses devido ao COVID-19.