Navalshore

Porto Ponta do Félix movimenta pela primeira vez pellets de madeira

O Porto Ponta do Félix está recebendo uma carga inédita de pellets de madeira a granel. A exportação de 15 mil toneladas do produto tem como destino a Itália, com navio previsto para atracar na primeira quinzena de dezembro. A operação faz parte da diversificação de cargas do porto, o que permitiu um aumento de 70% na movimentação em 2021.

O produto é de fabricação brasileira, produzido no Sul do país. Com a proximidade do inverno europeu, os pellets de madeira são utilizados como insumos para sistema de calefação, com finalidade residencial. Os produtos serão comercializados em lojas, em diversos pontos do continente.

De acordo com o diretor-presidente do Porto Ponta do Félix, Gilberto Birkhan, a ampliação de portfólio, atendimento diferenciado e know how em operações especializadas permitiu o crescimento na movimentação deste ano.

"Tivemos diversas operações inéditas neste ano, entre elas a importação de malte, big bags com alimentos e pellets de cana. Os pellets de madeira fazem parte da nossa diversificação de cargas, pois atendemos demandas customizadas dos clientes", destaca Birkhan.


Logcomex


De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Biomassa, o pellet é considerado um biocombustível granulado, que tem a biomassa vegetal como base de sua composição. Os pellets são compostos por essa biomassa moída e compactada, resultando em um produto resistente ao apodrecimento ou fermentação.

Essa fonte de energia é resultado de combustível sólido gerado a partir de biomassa florestal e resíduos de processamento de madeira. Pellets podem ser utilizados em lareiras e sistemas de aquecimento, evitando a utilização de combustíveis derivados do petróleo e causando menos danos ao meio ambiente.

A alta na movimentação do Porto Ponta do Félix foi além das expectativas, segundo seus gestores, chegando a 70% de crescimento se comparado ao ano de 2020. Cargas convencionais no porto como fertilizantes, farelo de soja não transgênico e açúcar ensacado continuam compondo grande parte da movimentação.

Para 2022, a projeção é de 30% de aumento na movimentação de cargas, tendo como desafio a fidelização de clientes e aumento de cargas diversas.

A expansão em infraestrutura também é um potencializador no crescimento do Ponta do Félix. Segundo o acionista Valdecio Bombonatto, a atual capacidade estática de 270 mil toneladas deve chegar a 430 mil com a finalização de obras em curso.

"Estamos construindo silos para cereais e um novo armazém para fertilizantes. Os investimentos permitem que os produtos que chegam ao Ponta do Félix sejam entregues com qualidade aos produtores rurais. Com isso, nós ganhamos em produtividade e garantimos a integridade da carga", destaca Bombonatto.

Grande parte das obras de expansão no Porto Ponta do Félix estará finalizada logo no primeiro trimestre de 2022.

    Terlogs     Mampaey     Antaq
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios