Porto do Rio de Janeiro espera quadruplicar movimentação de granéis líquidos

O Porto do Rio de Janeiro tem a expectativa de passar a movimentar cerca de 800 mil toneladas de granéis líquidos por ano para a Refinaria de Manguinhos (atual REFIT), o que corresponderá a um acréscimo de 214% na movimentação dessa natureza de carga no porto, em relação ao volume alcançado em 2018.

Neste intuito, o quadro de boias da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), localizado ao norte do Terminal de Cruzeiros do Porto do Rio de Janeiro, está em fase final de testes para voltar a ser utilizado nas operações, depois de sete anos de inatividade. No dia 13 de setembro, foi realizada uma manobra experimental com o navio "Stena Performance", que possui 182,9m de comprimento e 40m de boca.

A retomada das operações no quadro de boias tem por finalidade realizar a transferência de petróleo e derivados para os tanques de armazenamento da REFIT, por meio da conexão com um oleoduto de 6.818m de extensão (sendo 3.543m de trecho terrestre e 3.275m de trecho marítimo).

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

Desta forma, o projeto leva a REFIT a um novo patamar logístico e operacional, fortalecendo a perspectiva de novos negócios. Segundo o presidente da REFIT, Jorge Monteiro, a expectativa inicial aponta para uma movimentação de, aproximadamente, 33 mil toneladas de granel líquido por atracação, sendo previsto um navio por mês no primeiro ano, e dois navios por mês a partir do segundo ano. Nesse sentido, espera-se uma movimentação anual em torno de 800 mil toneladas.

Para o diretor de Gestão Portuária da CDRJ, Shalon Gomes, “essas perspectivas trazem um grande otimismo para a movimentação de granéis líquidos no Porto do Rio de Janeiro, tendo em vista que essa carga teve presença significativa em 2003 e 2004, quando os desembarques de petróleo cru para a Refinaria de Manguinhos eram da ordem de 700 mil t/ano”.

Comentários