Porto do Açu discute igualdade de gênero no Agosto Lilás

Sob o tema “As mulheres devem ser umas pelas outras”, a Porto do Açu promoveu uma mesa redonda com profissionais mulheres engajadas com a temática da igualdade de gênero, neste mês do Agosto Lilás. A iniciativa foi inspirada na campanha que busca a sensibilização, o diálogo e a informação da população acerca dos direitos da mulher em situação de violência doméstica. O debate contou com a participação de colaboradoras de diferentes empresas instaladas no complexo.

“O cenário atual está nos convidando a refletir sobre gênero e a colocar em pauta o respeito à figura da mulher, que vem assumindo papeis importantes na sociedade e conquistando seu espaço. A ideia é fomentar este debate dentro do ambiente de trabalho para que, desta forma, a conscientização se estenda para outras esferas”, afirmou a coordenadora de Responsabilidade Social da Porto do Açu, Izabel Sousa.

A mesa redonda foi composta pela jovem Tamillys Lírio, presidente da ONG Nação Basquete de Rua e membro da ONU Brasil, Kelly Viter, secretária geral adjunta da OAB Campos e presidente da OAB Mulher, além de Cristine Azevedo, arteterapeuta, coach e presidente do Conselho da Mulher de São João da Barra, com mediação do jornalista e advogado Luiz Mário Concebida.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

Durante o debate, foram apresentados os direitos da mulher ao longo da história e as conquistas femininas dentro da Constituição, como a Lei Maria da Penha, que completa 13 anos neste mês. A mesa redonda também abordou os desafios da mulher no mercado de trabalho, as diferenças de cargos e salários e as atitudes sexistas da sociedade em geral.

“É muito importante levantarmos este assunto dentro do ambiente corporativo, afinal uma das formas mais eficazes de se estabelecer a equidade de gênero é através da oportunidade de trabalho. Por isso, defendemos a independência financeira da mulher e uma ocupação igualitária em relação ao homem no mercado”, ressaltou a palestrante Kelly Viter.

As empresas do Porto do Açu, inseridas em um mercado reconhecido por ser majoritariamente masculino, atuam para aumentar a representatividade feminina no complexo. Recentemente, a GNA – Gás Natural Açu, que desenvolve o maior parque termelétrico da América Latina no empreendimento, qualificou uma turma de soldadores composta exclusivamente por mulheres. Atualmente, mais de 280 mulheres trabalham nas obras do hub de gás do Açu. O time feminino também ocupa cargos de liderança dentro do complexo, como na direção Comercial da Porto do Açu, com Tessa Major, e na presidência da BP Prumo, com Letícia Villa-Forte.

Participaram do debate sobre gênero as empresas Porto do Açu – que administra o complexo, Gás Natural Açu – GNA, Ferroport, NOV, B-Port, Acciona, Andrade Gutierrez e WorleyParsons.

Fonte: nfnoticias

Comentários