Marintec Navalshore

Porto de Santos lança plano para ampliar capacidade até 2040

A gestora do porto de Santos, maior do país, a Santos Port Authority (SPA), divulgou nesta segunda-feira seu novo plano de desenvolvimento e zoneamento (PDZ). O objetivo é criar ações que permitam a expansão da capacidade de movimentação de cargas no porto paulista, situado na cidade de Santos, com base em projeções de demandas futuras.

O plano prevê, para a área do porto organizado, integrar modais de transporte (rodovia e ferrovia, por exemplo), otimizar uso de instalações já existentes, definir nova organização da área portuária, fazer melhorias operacionais e realizar investimentos propostos.

Um dos objetivos do PDZ, com as novas diretrizes, é ampliar a participação do modal ferroviário nas operações junto ao porto. O plano abrange duas décadas — período de 2020 a 2040.

Publicidade

Catálogo da Indústria Marítima

 

Na movimentação de contêineres, no período estipulado, as projeções da SPA preveem aumento de 3% ao ano, partindo de uma demanda atual de 4,4 milhões de TEUs ao ano para 7,9 milhões. A capacidade passaria de 5,3 milhões para 8,7 milhões de TEUs nos atuais e novos terminais previstos.

Com adequações de áreas no Paquetá, Outeirinhos e Ponta da Praia, a SPA prevê, no plano, aumento da capacidade de movimentação de granéis sólidos vegetais de quase 70 milhões para 95 milhões de toneladas até 2040. Isso considera expansão da capacidade dos seis terminais existentes hoje no porto. Para granéis líquidos está previsto incremento da ordem 50%, indo a 22,4 milhões de toneladas, também com expansão dos terminais que operam hoje.

A SPA projeta também aumento da demanda de transporte de celulose pelo porto de Santos, com maior participação da ferrovia. A estimativa é passar de quase 50%, para 10,5 milhões de toneladas ao ano. O plano aponta ainda que anúncios de projetos de novas fábricas de celulose na região de influência do porto paulista devem adicionar outras 4 milhões de toneladas de produção da commodity.

A autoridade do porto paulista também identifica aumento da demanda de fertilizantes - cerca de 3 milhões de toneladas.

Com a participação da ferrovia passando dos atuais 33% para 40% em 2040, a movimentação geral do complexo portuário de Santos sairia de 135,7 milhões de toneladas ao ano para 214,9 milhões, conforme o PDZ lançado nesta segunda-feira.

A capacidade de movimentação no porto organizado, com todos os rearranjos operacionais, alocações de novas áreas e investimentos, deverá ir de 161,9 milhões para 240,6 milhões de toneladas. O aumento é de 49%, ou quase 80 milhões de toneladas a mais — metade desse volume adicional via de operação ferroviária.

Fonte: Valor



Assine Portos e Navios

fundo transp Intermodal
  Thermo Solutions     Assine Portos e Navios

  Catálogo da Indústria Marítima

 

 

  Sobena

 

Tche Digital

 

 

 

Sinaval   Abratec
Publicidade

Marintec Navalshore