Porto de Santos amplia exportações de café, mas participação cai

O Porto de Santos exportou 32,4 milhões de sacas de café no período entre julho de 2018 e o mês passado, que compreende o último ano-safra. Com isso, o cais santista segue como o responsável pelo embarque de 78,9% dos grãos vendidos ao exterior pelo Brasil. Apesar do crescimento de 28,5% nos volumes carregados, houve queda na participação, já que o complexo marítimo foi responsável pelo embarque de 82,9% do produto entre 2017 e 2018.

Já o país registrou um recorde histórico, com o escoamento de 41,1 milhões de sacas de 60 kg do produto, um aumento de 30,5% sobre o ano-safra anterior. Os dados fazem parte do levantamento do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). 

O órgão destaca que a receita cambial no ano-safra foi de US$ 5,3 bilhões (equivalente a R$ 20,8 bilhões), representando um aumento de 9,8% sobre o mesmo período anterior. O preço médio foi de US$ 131,14, queda de 18,7%.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

O levantamento ainda aponta que o complexo marítimo santista exportou 15,7 milhões de sacas de café no primeiro semestre deste ano. O volume é 29,9% do que o escoado no mesmo período do ano passado.

Em contrapartida, a participação do Porto nas exportações da commodity caiu de 83% para 78,5% no primeiro semestre deste ano. Neste período, além do cais santista, outros 20 complexos portuários escoaram o café brasileiro.

Os portos do Rio de Janeiro foram responsáveis pelo escoamento de 2,4 milhões de sacas de café, 12,2% das vendas externas. Já o Porto de Vitória (ES) escoou 1 milhão de sacas, 5,3% do total. 

Os complexos de Paranaguá (PR) e Salvador (BA) aparecem na sequência. No primeiro, foram embarcadas 373.503 sacas, 1,9% das vendas. Já o segundo escoou 166.347 sacas, 0,8% do café exportado. 

Segundo o Cecafé, no primeiro semestre deste ano, 56.457 contêineres de 20 pés (TEU) foram utilizados para transportar a commodity ao mercado internacional. Já no mesmo período do ano passado, foram utilizados 40.614 TEU. 

Para o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, os resultados refletem a excelência do agronegócio do café do Brasil, a eficiência do comércio exportador e os investimentos em pesquisa e inovação. “O Brasil atende às exigências do mercado externo, tanto no quesito qualidade quanto na sustentabilidade, e está pronto para responder à crescente demanda mundial, com a perspectiva de atingir 40% de marketshare nos próximos anos”, afirmou.

O executivo comemorou ainda o acordo comercial firmado entre Mercosul e União Europeia, que “será uma importante contribuição para a expansão do admirado cafezinho brasileiro no mundo”.

Destinos

No ano-safra, os principais destinos do café brasileiro foram, na ordem: os Estados Unidos, com a exportação de 7,5 milhões de sacas (18,3% dos embarques totais no período); Alemanha, com a exportação de 6,6 milhões de sacas (16,1%) e Itália, com 3,7 milhões de sacas (8,9%). Todos os dez principais destinos apresentaram crescimento no consumo do produto, segundo o levantamento do Cecafé.

Fonte: A Tribuna

 

Comentários

 

 

Reportagens da edição 702

Presença a bordo

08 Jul 2019 18:07 Navegação

Empresas pedem manutenção das vagas na formação para não faltar marítimos. Sindicato cobra equilíbrio entre oferta e demanda • O mercado de navegação no Brasil apresenta oferta de marítimos superior à...

Legal Seminar

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

Considerado o mais importante mercado “offshore” fora do Mar do Norte, o Brasil também atraiu a atenção de armadores noruegueses em evento paralelo • A primeira apresentação deu uma visão das...

Mercado de gás

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

As oportunidades no setor de gás no Brasil também foram debatidas no evento.  A superintendente de Oléo e Gás do estado do Rio de Janeiro, Cristina Pinho, deu um quadro...

Brasil na Nor-Shipping

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

Pela terceira vez o Brasil promove um seminário durante o evento • Se neste ano o clima do evento em geral já era mais leve que nas edições anteriores, no caso...

Leia mais reportagens da edição impressa

Cash Computadores

Kincaid

Consórcio Águas Azuis

Container Institute

Envie uma pauta

Tche Digital

Sobena

Aapa

ABTP

Sinaval

Fenavega Abratec