Porto de Niterói registra recorde histórico de faturamento em 2020

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) bateu um recorde histórico de faturamento anual no Porto de Niterói, faltando ainda um mês para o fim do ano. O total acumulado de receitas, de janeiro a novembro de 2020, atingiu a marca de R$ 7.295.867,50, valor que já é 9,8% maior que o ano de 2019 e superior a todos os anos anteriores da história do porto. As receitas são provenientes de tarifas públicas (58%) e de arrendamentos (42%). As informações foram divulgadas pela CDRJ, Autoridade Portuária responsável pela administração dos Portos do Rio de Janeiro, Niterói, Itaguaí e Angra dos Reis.

A gerente de Operações do Porto de Niterói, Aline Moriggi, explicou o resultado positivo, obtido mesmo durante a pandemia: “Nesse ano atípico, tomamos uma série de providências para garantir a continuidade das operações e a segurança dos trabalhadores. Apesar da perda de receitas fixas, provenientes da renovação dos contratos de arrendamento, os novos negócios no mercado offshore, o aumento das receitas variáveis e a dedicação de todos os envolvidos na cadeia logística garantiram o bom desempenho do porto”.

O Porto de Niterói conta com uma localização estratégica na Baía de Guanabara e se tornou uma base logística em apoio às atividades offshore. As principais cargas movimentadas no porto são suprimentos, peças e equipamentos que contemplam esse segmento. Com foco em empresas nacionais e internacionais de petróleo e gás que operam no país, os dois terminais arrendados pelas empresas Nitshore Engenharia e Serviços Portuários e Nitport Serviços Portuários atendem a demandas de suporte, fabricação e reparação, voltadas para módulos de plataformas de perfuração e/ou produção.

Além dos terminais arrendados, a Gerência do Porto de Niterói também pratica a cobrança das tarifas públicas das embarcações que acessam os estaleiros no entorno do porto. O resultado alcançado, neste ano, demonstra a resiliência do mercado de óleo e gás, frente a um ano de grandes desafios. "Esperamos, no ano de 2021, alcançar maiores resultados, considerando o potencial que o mercado tem demonstrado," ressaltou Leandro Lima, superintendente de Gestão Portuária do Rio de Janeiro e Niterói.




Marintec Navalshore