Great Ocean

Porto de Itaguaí e acordo de minas são condições do aporte da Sumitomo

RIO - O aporte integral de US$ 1,929 bilhão da Sumitomo na Mineração Usiminas ainda depende da solução de condicionantes envolvidas no negócio. O acordo anunciado hoje entre Usiminas e Sumitomo estima que US$ 579 milhões do total que será colocado no negócio pelos japoneses - que terão 30% na nova empresa - só serão aportados depois de acordos envolvendo a área adquirida pela siderúrgica em Itaguaí e vizinhos nas áreas de mineração em Minas Gerais.
O presidente da Usiminas, Wilson Brumer, afirmou que 30% desses US$ 579 milhões dependem da autorização para construção do porto na área adquirida pela siderúrgica em Itaguaí. A região é conhecida no Rio de Janeiro pelo passivo ambiental causado pela falência da mineradora Ingá, que deixou na área um depósito a céu aberto com rejeitos contendo metais pesados.
A Usiminas adquiriu a área e se comprometeu a limpar a região, tornando-a apta para a construção de um porto para dar suporte às suas operações minerais, agora a cargo da Mineração Usiminas, cuja criação foi anunciada hoje.
Brumer estima que no início de 2011 já seja possível avançar com o projeto de limpeza ambiental e descontaminação. Segundo o executivo, a partir daí serão mais 15 a 18 meses para que a área esteja pronta para o início das obras de construção do porto.
A questão em Minas Gerais envolve vizinhos das áreas cujos direitos minerários pertencem à Usiminas - e serão repassados para a nova subsidiária. Brumer explica que há necessidade de acordo com esses vizinhos para o desenvolvimento de "interesses comuns" de lavra.
"O que colocamos como condicionante na negociação é que, a partir do momento que a gente entregue esses acordos com vizinhos, estará cumprida essa condicionante", frisou Brumer, em teleconferência com jornalistas.
O executivo explicou que, em 30 de agosto, os acordos finais para a constituição da nova empresa estarão assinados e 30 dias depois os US$ 1,350 bilhão iniciais da Sumitomo estarão no caixa da Mineração Usiminas. "Os US$ 579 milhões restantes serão alocados à medida que forem cumpridas condicionantes", disse Brumer.
(Fonte: Valor Econômico/Rafael Rosas)


Marintec Navalshore