Great Ocean

Porto de Cabedelo inicia estudos requeridos pela SEP para execução da dragagem

Terá início, na próxima segunda-feira (12), mais um procedimento referente aos estudos batimétricos realizados no Porto de Cabedelo desde março em cumprimento às exigências da Secretaria Especial dos Portos (SEP) para a execução das obras de dragagem. Após a instalação da Régua de Maré e seu monitoramento durante cerca de quinze dias, a empresa G2 Meio Ambiente, licitada para a operação, iniciará a etapa da sondagem. Esta fase, segundo o diretor da empresa, Eugênio Pires Frazão, durará cerca de uma semana e consiste em investigar, através de um Ecobatímetro Multifeixe, a profundidade da água e a natureza do fundo do mar do Porto de Cabedelo.
Para o presidente da Docas/PB, que administra o Porto, Wagner Breckenfeld, as etapas estão ocorrendo de forma planejada e, em breve, o Porto já poderá dar início à sua dragagem, cuja conclusão ainda este ano trará inúmeros benefícios para o terminal, visto que sua capacidade de operação será praticamente dobrada, o que gerará novos negócios e o aperfeiçoamento de sua estrutura logística.
“Estamos muito otimistas com o início desta segunda etapa, já que ela representa o estudo batimétrico propriamente dito. Quando esta etapa for concluída, restará apenas outro procedimento de análise laboratorial e a entrega do relatório final para que possamos finalmente dar início a dragagem do Porto. Estamos na expectativa da conclusão da fase de estudos para finalmente realizar uma obra que este Porto não vê há pelo menos cinco anos”, destaca Wagner Breckenfeld.
Para o pesquisador e proprietário da empresa G2 Meio Ambiente, Eugênio Frazão, o diretor-presidente da Docas/PB tem todos os motivos para comemorar, visto que a cada dia que passa a dragagem está mais próxima. “Se tudo correr como previsto no cronograma de atividades apresentado à SEP, e tudo deve ocorrer dentro desse tempo, ainda em abril estaremos concluindo todos os estudos para que em maio, tudo já esteja pronto para a dragagem”, disse Eugênio, explicando que a sondagem durará apenas uma semana, sendo necessária mais duas semanas para a confecção de um perfil batimétrico da região. Ainda segundo ele, a sondagem é realizada com o auxílio de uma embarcação pequena - 10 metros de comprimento - visto que além da medição de profundidade, prevista para ter início já na próxima semana, a pesquisa também inclui a coleta de sedimentos superficiais na área do Porto, que necessita de uma embarcação apropriada para áreas rasas para a análise toxicológica em laboratório.
Ecobatímetro Multifeixe
É através de um aparelho utilizado para sondagem, que se baseia na medição do tempo decorrido entre a emissão de um pulso sonoro, de frequência sônica ou ultra-sônica, e a recepção do mesmo sinal após ser refletido pelo fundo do mar, que a empresa G2 meio Ambiente realizará o levantamento da profundidade do mar, visto que o tempo que o som leva entre o momento de sua emissão e o de sua recepção determina a profundidade entre a superfície da água e o leito do canal. No caso do Porto de Cabedelo, será utilizado um Ecobatímetro Multifeixe Jogger 24 da marca LEICA e mira falante de alumínio, que entre outras vantagens permite a cobertura total do fundo, a detecção de obstruções e de estruturas marinhas anormais ao relevo submarino, a elevada densidade dos dados recolhidos, além de imagens batimétricas de elevada resolução e maior segurança durante execução da sondagem.

Fonte: ClickPB

    Terlogs     Mampaey     Antaq
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios