O Porto de Auckland, na Nova Zelândia,  está visando zero emissões até 2040. A administração do porto mira o poder do hidrogênio como uma alternativa para uso de baterias para equipamentos.

O porto comprometeu-se a construir uma instalação de produção de hidrogênio e reabastecimento.

Como parte do projeto, o porto e seus parceiros Auckland Council, Auckland Transport e KiwiRail investirão em veículos com célula de combustível a hidrogênio, incluindo equipamentos portuários, ônibus e carros.

 

O executivo-chefe do Porto de Auckland, Tony Gibson, explicou: "Temos uma meta ambiciosa de ser um porto com emissões zero até 2040. Para alcançar essa meta, precisamos de uma nova fonte de energia renovável e resiliente para equipamentos pesados como rebocadores e "straddle carriers". O hidrogênio pode ser a solução para nós, já que pode ser produzido e armazenado no local, permite um reabastecimento rápido e oferece maior alcance do que as baterias".

O porto financiará a construção da instalação que produzirá hidrogênio a partir da água da torneira com veículos armazenando energia em células de combustível.

"Se esse teste for bem-sucedido, a tecnologia terá uma aplicação muito ampla. Isso pode ajudar Auckland e Nova Zelândia a alcançarem a autossuficiência energética e nossas metas de redução de emissões", disse Gibson.

“Caminhões, trens e balsas também poderiam funcionar com hidrogênio — algo que já está sendo feito no exterior —, o que seria um benefício significativo para a comunidade. Veículos movidos a hidrogênio são mais silenciosos e emitem nada mais do que água limpa."

O porto da Nova Zelândia se une a vários outros em todo o mundo no teste de hidrogênio como fonte de combustível, incluindo o Porto de Los Angeles e Porto de Long Beach, Porto de Honolulu, Porto de Valência e Porto de Roterdã.

Comentários


Schottel

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Abac

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Fenavega Abratec