O blog da jornalista Andréia Sadi, no portal G1, traz nesta segunda-feira o conteúdo de documentos apreendidos pela Polícia Federal na Operação Skala, em 29 de março. Os papéis apontam conexões entre empresas do setor de portos e o coronel João Batista Lima Filho, dono da empresa Argeplan e amigo do presidente Michel Temer.

O coronel Lima, preso na operação, nega relação com a empresa Rodrimar, investigada no inquérito dos portos sob suspeita de ter se beneficiado de um decreto assinado por Temer em 2017. Em troca, supostamente pagou propina ao presidente, que nega.

O blog teve acesso à íntegra do relatório da PF, que está sob sigilo. A operação levou à prisão amigos de Temer – como Lima – e empresários do setor de portos.

 

Na casa de Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima, a PF encontrou uma bolsa com documentos das empresas Rodrimar, Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e Libra.

Ainda na casa dele, em um quarto de bebê, foi encontrado um arquivo morto com dados da Codesp e um arquivo morto com dados do Grupo Libra, contratos, aditivos contratuais e receitas financeiras.

A PF também achou cinco armas na casa. Carlos Alberto Costa foi preso em flagrante por causa da posse de armas e munições de uso restrito e em situação irregular.

Fonte: Valor

Comentários


Cash Computadores



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec