Pesquisa de petróleo no CE pode ficar para 2010

Com as Novas prospecções da ANP, o Estado do Ceará pode aumentar suas reservas de petróleo e recebimento de royalties
Estudos serão iniciados, mas ainda está em andamento licitação para contratação da empresa, diz ANP
Corre o risco de ficar somente para o ano que vem o início de novas pesquisas em bacias sedimentares do Ceará, em busca de campos de petróleo ainda não explorados. A Agência Nacional de Petróleo (ANP) informou ontem que os estudos serão, sim, iniciados, mas que ainda está em andamento a licitação para a contratação da empresa que fará os trabalhos. A agência investiria, somente neste ano, um montante de R$ 25 milhões a R$ 30 milhões em levantamentos geoquímicos nas bacias do Estado. Previsão anterior do presidente da ANP, Haroldo Lima, apontava para a realização dessa licitação ainda em julho ou agosto passados. O processo, entretanto, vem se estendendo, mas já foi garantida a disponibilidade financeira para tal.
As novas prospecções estão previstas para ocorrerem nas bacias do Ceará e Araripe, que foram incluídas no Plano Plurianual de Geologia e Geofísica da ANP. "(...) serão coletadas amostras de assoalho oceânico visando identificar e caracterizar a presença de geração de óleo e/ou gás na bacia", afirmou o presidente da agência através do Ofício IA nº 047-2009, no qual assegura investimentos para estas áreas no corrente ano.
Na Bacia do Ceará já existe exploração, feita pela Petrobras, mas concentrada em plataformas marítimas no município de Paracuru, nos campos de Xaréu, Atum, Curimã e Espada. A produção nessas áreas vem registrando queda ao longo dos anos, causada pelo envelhecimento natural das jazidas. Os planos da ANP são de buscar ocorrências de óleo na parte oeste da bacia, que se estende até o Piauí, abrangendo uma extensão geográfica de 7,4 mil quilômetros quadrados.
"No caso de detectar a presença de hidrocarbonetos em parte significativa das amostras coletadas, ocorrerá uma importante elevação da atratividade dessa bacia, ou seja, diante de um resultado positivo desse levantamento, será possível a seleção de áreas para a oferta de concessões de blocos em futuras licitações", aponta o ofício.
O planejamento é o mesmo para a Bacia do Araripe, localizada na região sul do Estado e englobando o Cariri cearense e os estados de Pernambuco, Piauí e Paraíba. Existem dois poços perfurados na bacia, mas nunca foi comprovado nenhum sistema petrolífero no local. Mesmo assim, a agência acredita que possa surgir interesse exploratório no local para o futuro. Desta vez, a ANP irá coletar 2000 amostras de solo, com as quais fará análises laboratoriais e interpretação de dados geoquímicos. Serão identificadas possíveis acumulações de hidrocarbonetos em superfície e feita a delimitação de áreas com maior atratividade exploratória.
Estudos na bacia já vêm sendo realizados no local por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em parceria com a Petrobras, para identificar a possibilidade de existência de óleo na área. O ponto de partida para estes pesquisadores foi a suspeita de que a bacia possa ter alguma correlação com a bacia Rio do Peixe, na Paraíba, onde foi identificada a presença e óleo sendo, inclusive, incluída na 9ª Rodada de Licitações da ANP.
Dos 19 blocos ofertados, 12 foram arrematados, comprovando a viabilidade econômica da exploração por lá.
Há a possibilidade da interligação ou, mesmo que sejam a mesma bacia. Acredita-se também que a Bacia de Iguatu, também no Ceará, reúna as mesmas características.(Fonte: Diário do Nordeste/CE/SÉRGIO DE SOUSA)