AGI Brasil

Porto de Itajaí lança projeto baseado baseado em governança, tecnologia e capacidade operacional

O Porto de Itajaí pretende investir no desenvolvimento de inteligência artificial, aplicação de ferramentas de tecnologia da informação (TI) nos processos do porto e a busca por certificações internacionais das ISOs. Para isso, lança o projeto Somar, baseado no tripé governança, tecnologia e capacidade operacional.

O projeto intitulado Somar vem da ideia de fazer a soma, adição, união, visando reunir ações de melhorias coordenadas para aumentar o potencial competitivo do Porto de Itajaí.

Redução de custos operacionais, valorização de recursos humanos, ampliação das áreas de armazenagem, melhoria dos procedimentos, aperfeiçoamento da logística interna e segurança são algumas das metas do projeto Somar.

Governança


TMSA


Desde o ano passado o Porto de Itajaí tem como uma das metas alcançar certificações. A primeira conquistada foi ISO 14001. Neste ano, o intuito é implantar diretrizes e estruturar procedimentos para obter a IS0 9001, que certifica o sistema de gestão de qualidade. A ISO 37001, que certifica sistemas de gestão antissuborno, e a NBR 19600, que trata do sistema de gestão de compliance, também estão dentro das metas do plano de governança do projeto Somar.

“Apresentar certificações ISO coloca qualquer organização ou empresa em um outro patamar, demonstrando que existe uma preocupação com a qualidade e com o cumprimento de legislações, regulamentos e exigências de caráter normativo. O Porto de Itajaí tem vivido uma fase de crescimento, e para crescer mais é preciso organização e planejamento. O projeto Somar traz isso, metas de desenvolvimento para crescer de forma coordenada”, comenta Médelin Pitrez dos Santos, coordenadora de Meio Ambiente da Superintendência do Porto de Itajaí.

Tecnologia

A aplicação do sistema Power BI também está dentro do planejamento do projeto Somar para melhorias em tecnologia. O sistema é fundamental para visualizar questões relativas aos processos organizacionais, desempenho de produtividade, analisar o mercado e a concorrência, observar tendências, dentre outros benefícios de otimização.

Já a adoção de Dashboards servirá para que os dados e indicadores da operação portuária e financeira sejam visualizados em tempo real, trazendo mais transparência e agilidade na obtenção de informações. Os dashboards são paineis visuais com informações, métricas e demais indicadores de uma empresa, sendo monitorado por equipes desmembrando decisões e acompanhamentos do rendimento da instituição.

A gestão do acesso aquaviario (LPS) será ampliada com a inclusão e melhoria de sistemas que auxiliam a navegação, como por o Automatic Identification System (AIS), o Very High Frequency (VHF) e o Circuito Fechado de TV (CFTV). Haverá uma integração destes sistemas junto ao monitoramento dos parâmetros ambientais, aprimorando o LPS do Porto de Itajaí.

Capacidade Operacional

Algumas ações serão executadas na retroárea do porto para que a ampliação da armazenagem interna seja uma realidade. Até o início do segundo semestre, a autoridade portuária irá demolir do Armazém Nº 03, além de adequar a drenagem pluvial, ajustar o sistema elétrico (iluminação e tomadas reefers) e aplicar melhorarias na pavimentação.

As obras de implantação de arruamento segregado é um dos principais planos traçados a serem executados neste ano. A interligação do Recinto Alfandegado Contíguo (RAC) à Área Primária do Porto de Itajaí é um projeto de extrema importância para ampliação da capacidade de movimentação do Porto de Itajaí. Seguindo as diretrizes do Plano Mestre e Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ 2019), as desapropriações já estão em fase final, e assim que finalizar, as obras possam iniciar para que o Porto possa realmente avançar.

O diretor geral de Operações Logísticas do Porto de Itajaí, Heder Cassiano Moritz, destaca que a criação deste projeto é uma resposta muito clara de que a autoridade portuária tem desempenhado seu papel da melhor maneira e deseja fazer muito mais pelo Porto de Itajaí: “Ficaremos até o último dia fazendo o melhor para o nosso porto”, diz.

O superintendente do porto, Fábio da Veiga, resume o intuito do projeto: “É disso que nós precisamos hoje, juntar forças, juntar ações para que o porto continue crescendo. Nesse sentido, identificamos três pontos principais de aprimoramento: uma melhor governança, mais tecnologia e mais capacidade operacional”, destaca.





Dragabras

Assine o Notícias do dia

Ecobrasil

Priner fundo transp Terlogs
  Mampaey     Assine Portos e Navios

  Catálogo da Indústria Marítima

 

 

  Antaq

 

Tche Digital

 

 

 

Sinaval   Abratec