Obras, nomeações e convênios no porto de Suape

Diretoria do Complexo de Suape entregou obras, nomeou funcionários concursados e assinou convênios ontem, em solenidade no próprio porto
A diretoria do Complexo de Suape realizou, ontem, uma solenidade para inaugurar obras, assinar convênios e nomear os novos funcionários concursados. A expectativa era que as inaugurações fossem feitas com a presença do governador Eduardo Campos, mas a tragédia das chuvas no Estado tem tomado a agenda de Eduardo Campos.
O evento serviu para inaugurar, numa só tacada, a reforma do Centro Administrativo, a duplicação da via interna (TDR-SUL) e da iluminação do porto. A lista também incluiu o anúncio de dois novos empreendimentos: a fábrica cimenteira do grupo argentino PG&A e a ampliação da PetroquímicaSuape, que somam investimentos da ordem de R$ 240 milhões.
Durante a solenidade, o presidente do Porto de Suape, Fernando Bezerra Coelho, anunciou a nomeação de 50 do total de 112 novos funcionários concursados para o complexo. Esses 50 deverão ser contratados até dezembro e o restante integrará o quadro num prazo de 12 meses. A nomeação simbólica foi feita em nome dos novos funcionários Cândida Efigênia de Freitas e Fernando Tiago Nascimento, que acertaram 100% das provas para as vagas de arquiteta e auxiliar administrativo.
MARINHA
Junto com representantes da Marinha do Brasil, a diretoria de Suape assinou convênio para a implantação de uma agência da Capitania dos Portos no complexo. A unidade será instalada em função do crescimento do número de navios que utiliza o porto e da demanda gerada pelas empresas ligadas ao setor naval. “O crescimento do Brasil passa por Pernambuco e por Suape. Por isso, não poderíamos deixar de marcar presença aqui”, disse o comandante do 3º Distrito Naval, o vice-almirante Airton Teixeira Pinho Filho. Suape cedeu uma área de um hectare para abrigar a agência.
O comandante também entregou ao presidente de Suape a atualização da carta náutica do porto. O documento traz informações sobre as coordenadas de navegação na área do porto interno. A última carta foi elaborada há cinco anos, antes da inauguração de novos cais e de grandes obras de dragagem para atender aos novos empreendimentos, a exemplo do Estaleiro Atlântico Sul.

Fonte: Jornal do Commercio (PE)


Marintec Navalshore