MSC

Novo píer pronto até próximo dezembro

Até dezembro do próximo ano, deverá estar concluída a maior obra executada no Terminal Portuário do Pecém desde sua inauguração. O Terminal de Múltiplo Uso (TMUT) elevará significativamente a capacidade de escoamento de cargas por meio de contêineres no Pecém e dará espaço para que o porto comece a operar nas áreas para as quais foi inicialmente concebido: a siderurgia e a petroquímica.
O TMUT, que envolve investimentos da ordem de R$ 350 milhões, é um novo píer especializado em cargas gerais, com dois berços de atracação voltados a atender aos modernos navios porta-contêineres frigoríficos. Para a instalação do novo terminal, o quebra-mar do porto será ampliado em mil metros, dos quais 335 metros já estão realizados. A ponte de acesso, que terá 348 metros de extensão, já está com 50% de suas obras concluídas. A construção é de responsabilidade do consórcio Marquise/Ivaí.
Movimentação
Com o TMUT, a capacidade estimada de movimentação de contêineres será ampliada dos atuais 250 mil TEUs/ano para 760 mil TEUs (Twenty Feet or Equivalent Unit - unidade de 20 pés ou equivalente anuais). Com isso, toda a movimentação de contêineres, hoje realizada no Píer 1 do porto, passará para o novo terminal, liberando aquele para a movimentação de produtos siderúrgicos. A necessidade de construção do TMUT se deu pelo fato de que o porto foi pensado para atender às demandas das usinas de siderurgia e refino planejadas para o Estado. Como os projetos não vingaram na época, o terminal passou a trabalhar com carga geral, e hoje já ocupa uma posição de destaque e estratégica no Brasil no comércio exterior de cargas gerais. Agora que a refinaria e a siderúrgica devem ser implantadas, houve a necessidade de voltar a dotar o porto da infraestrutura necessária para a operação desses empreendimentos. O TMUT faz parte da primeira etapa de ampliação do Porto do Pecém, que prevê ainda a implantação da correia transportadora de granéis sólidos, que transportará carvão e minério de ferro para a termelétrica Energia Pecém e para a siderúrgica. Além dela, ainda será implantado o descarregador contínuo de granéis sólidos, para permitir a retirada desses produtos dos navios. Ambos equipamentos estarão prontos em 2011.
Em contratação
Apesar de ainda em curso essa primeira fase de expansão, o secretário de Infraestrutura, Adail Fontenele, informa que já se encontra em fase de contratação a segunda etapa da ampliação do terminal, que envolverá investimentos de R$ 726 milhões. Esta etapa, com prazo para operação total em 2014, incluirá uma nova ponte de acesso de 1.800 metros, um quebra-mar de 2.300 metros, um berço para a Transnordestina e dois píeres petroleiros. (SS)
PORTO DO MUCURIPE
Dragagem esperada ainda em 2010
A burocracia ainda emperra o início da dragagem do Porto do Mucuripe, obra que ampliará a profundidade da área de atracação de navios dos atuais 11,5 metros para 14 metros, permitindo ampliar a movimentação do terminal com a chegada de navios de grande porte. Entretanto, o ministro Pedro Brito, da Secretaria Especial de Portos, garante que o processo será realizado ainda em 2010, e que a obra estará pronta no mesmo ano. "A licitação vai ficar pro ano que vem. Mas isso não atrapalha o prazo de conclusão, que é até o fim de 2010, porque isso é uma obra de seis meses", esclarecera o ministro ao Diário do Nordeste há cerca de um mês.
O que acontece é que ainda não existiam os recursos totais reservados para a obra, e não é possível, de acordo com Lei de Responsabilidade Fiscal, lançar um processo licitatório se os recursos não estiverem totalmente garantidos. A obra antes estava orçada em R$ 45 milhões, mas como a licitação realizada foi deserta, um novo edital foi preparado, estabelecendo o novo preço de R$ 62 mi. Essa diferença ainda não foi conseguida.
Mesmo com a ampliação do Porto do Pecém, a ideia prevista em um plano elaborado para o desenvolvimento portuário cearense é de que haja integração entre os dois terminais. E o Porto do Mucuripe continuará movimentando granéis sólidos, como o trigo, e de combustíveis.
Além disso, um outro projeto programado para o porto é o terminal de passageiros, fortalecendo o turismo marítimo no Estado, ainda pouco significativo por aqui. A previsão, segundo Brito, é de que seja lançado ainda no primeiro trimestre de 2010 a licitação para a construção do terminal, que será construído em parte da Praia Mansa, em área contígua às Docas.
A obra tomará investimentos de R$ 95 milhões, dos quais, R$ 33 milhões vão para o terminal, R$ 50 milhões para a construção do berço de atracação de transatlânticos e mais R$ 15 milhões para urbanização. As obras devem, segundo o ministro, estar concluídas até 2012, dois anos antes da Copa. Os recursos são do PAC. (SS) (Fonte: Diário do Nordeste)

 

 

 


Rimac


 

 



Cash Computadores

Dragabras

Navalshore

Priner fundo transp Terlogs
  Mampaey     Assine Portos e Navios

  Antaq

 

 

  Anuncie PN

 

Tche Digital

 

 

Catálogo da Indústria Marítima

 

Sinaval   CBO