Nova refinaria de óleo no MA custará R$ 77 milhões

De São Paulo - O grupo Algar tem um amplo projeto de expansão para o segmento de agronegócio, cujo faturamento de R$ 1,2 bilhão (43% do total) vai dobrar nos próximos quatro anos, estima seu presidente, Luiz Alexandre Garcia. A projeção é de que a compra de soja pelo grupo também duplicará no período. A empresa vai investir R$ 77 milhões numa nova refinaria de óleo no Maranhão e em novos silos, para levar a marca ABC Minas ao Nordeste. Hoje, conta com 35 silos em Minas Gerais e no Centro-Oeste, com capacidade de 900 mil toneladas estática, isto é, sem considerar o revezamento dos grãos. A capacidade estática aumentará de 20% a 30%, além de ser incluído o giro do conteúdo.
A fábrica da unidade Algar Agro, em Uberlândia - destinada a produtos derivados da soja, como óleo, azeite e farelo, sob a marca ABC Minas -, movimentou 1,2 milhão de toneladas de soja no ano passado, afirma Luiz Alexandre. O aumento da originação (compra) de soja está previsto para Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia, ancorado, principalmente, em silos estrategicamente distribuídos, diz o executivo. O plano é aproveitar melhor a capacidade da fábrica, cuja capacidade de uso atual é de apenas 50%.
A empresa exportou o equivalente a R$ 600 milhões em soja e farelo, no ano passado, volume que também deverá dobrar em até quatro anos. As exportações seguem, basicamente, para Europa e China.
A unidade de agronegócios conta com mais de 400 colaboradores e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de R$ 45 milhões em 2009. A linha de negócios contou com R$ 14 milhões de investimentos no ano passado. O lucro líquido, no total de R$ 13 milhões, equivale a 7% do resultado consolidado do grupo.

Fonte: Valor Econômico/IS


Marintec Navalshore