MSC

Movimento de cargas no Porto de Santos em julho bate novo recorde

O mês de julho registrou a melhor movimentação mensal de cargas da história do Porto de Santos. Foram 12,74 milhões de toneladas de carga movimentada, número que supera em 2,1% o recorde anterior (12,48 milhões, em agosto de 2018) e em 7,3% o registrado no mesmo mês do ano passado (11,87 milhões). No acumulado do ano, o Porto de Santos ficou estável, registrando 76,33 milhões de toneladas, resultado 0,01% inferior ao observado no mesmo período do ano passado (76,34 milhões). Os números foram compilados pela Gerência de Tarifas e Estatísticas da Autoridade Portuária de Santos.

Outro número que merece destaque é a movimentação de contêineres, a segunda melhor mensal do Porto, totalizando 370.407 TEUs, um crescimento de 7,1% em relação ao mesmo mês do ano passado (345.748 TEUs). O recorde histórico é do mês de agosto de 2018, com 387.791 TEUs.

Os embarques pelo Porto de Santos atingiram também seu segundo melhor resultado mensal histórico: 9,09 milhões (o recorde foi registrado em agosto de 2017, com mínima diferença percentual). O crescimento em relação a julho de 2018 foi de 6,1%. A carga com a maior movimentação neste mês foi o milho, também com recorde de volume: 3,03 milhões de toneladas, praticamente 1/3 do total de embarques.

Nos desembarques, julho de 2019 registrou 3,66 milhões de toneladas, recorde para o mês e o segundo melhor movimento mensal da história (o recorde foi registrado em novembro do ano passado: 3,73 milhões de toneladas). O crescimento em relação ao mesmo mês do ano passado foi de 10,6%.


Logcomex


Além do milho, as cargas com maior movimento no mês foram as do complexo soja (grãos e farelos, somados), com 1,73 milhão de toneladas; açúcar (1,31 milhão de toneladas) e adubo (a primeira nos desembarques, com 623,34 mil toneladas).

Movimentação anual

A movimentação de cargas no Porto de Santos em 2019, até julho, foi de 76,33 milhões de toneladas, segundo melhor resultado histórico para o período. O total de embarques foi de 54,13 milhões, decréscimo de 0,8% em relação ao mesmo intervalo do ano passado. A carga com a maior tonelagem foi o complexo soja, com a marca de 19,68 milhões, queda de 8,7% em relação a 2018 (21,55 milhões de toneladas).

O segundo produto em movimentação foi o açúcar, com a marca de 7,56 milhões de toneladas. O resultado é 9,2% menor que o de 2018 (8,32 milhões de toneladas, de janeiro a julho). Em terceiro no ranking está o milho, com 5,42 milhões de toneladas. O crescimento é de 99,7%, não somente por uma safra maior, mas também refletindo o impasse no preço do frete que afetou o escoamento da safra no ano passado. Outras cargas que se destacaram pelo volume foram a celulose (2,78 milhões de toneladas, crescimento de 11% em relação a 2018) e café (1,29 milhão de toneladas).

No fluxo de desembarques, houve crescimento de 2% em relação aos primeiros sete meses de 2018. Foram 22,20 milhões de toneladas, ante 21,77 milhões no ano passado. O produto de maior movimentação foi o adubo, com 2,71 milhões de toneladas, sendo a 5º carga de maior tonelagem no Porto de Santos. Na comparação com 2018, houve aumento de 34,9% (2,01 milhões). A 2ª carga mais desembarcada foi o óleo diesel, com 1,26 milhão de toeneladas. Em 3º, o enxofre, com 1,06 milhão (16,5% de redução).

As atracações de navios somaram 429 em julho, 15 a mais que na base anual. No ano, no entanto, houve queda de 2.854 atracações no período, para 2.789, o que significa que a consignação média (quantidade de carga por navio) subiu 2,77%, indo de 27.539 toneladas por embarcação, em 2018, para 28.301 este ano. Este cálculo leva em conta apenas os navios cargueiros.

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios