Porto do Açu

‘Mar Limpo III’ - Navio é incorporado à frota da Bravante

 

A Bravante recebeu no último dia 28 de novembro o Mar Limpo III, segunda embarcação totalmente dedicada para combate a derramamentos de óleo no mar produzida no Brasil. O OSRV foi construído no Estaleiro São Miguel,

empreendimento da companhia instalado no Rio de Janeiro, e somou investimentos da ordem de R$ 71 milhões. O projeto contou com a parceria da Rolls Royce e tem mais de 70% de conteúdo local. A companhia ainda pretende finalizar até 2014 os navios Mar Limpo IV,V,VI e VII, com o objetivo de trazer qualidade, agilidade e segurança às operações a controle de vazamentos, seja nas áreas do pós ou pré-Sal. O navio será operado diretamente pela equipe da própria Bravante.

 


Porto do Açu


De acordo com a empresa, o Mar Limpo III tem radares capazes de detectar derramamentos de óleo em um raio de dois quilômetros, mostrando inclusive a espessura da mancha, e um sistema de posicionamento dinâmico que dá inteligência às ações no mar. A embarcação também conta com um skimmer que tem capacidade de drenar 250 mil litros de resíduos por hora, além de tanques para o armazenamento de até 750 mil litros de material coletado. Outra ferramenta importante do Mar Limpo III, na qual foram investidos R$ 2,4 milhões, é o workboat a bordo, que permite a aproximação da mancha de óleo e cercá-la com rapidez, impedindo que o derramamento se expanda. A embarcação conta ainda com firefights, que tem alcance para extinguir focos de incêndio em líquidos inflamáveis.

Com uma tripulação de 12 pessoas, o Mar Limpo III conta com backup dos principais equipamentos. O navio, segundo a Bravante, foi o primeiro Oil Spill Recovery Vessels (OSRV) produzido no país. Sua construção levou 22 meses. De acordo com o CEO da Bravante, Renato Nascimento, a entrega da embarcação de acordo com as certificações internacionais mostra que o país está apto a vencer os desafios que estão por vir no setor. “Entregar um navio com tanta complexidade e com recursos inéditos no país é a prova de que estamos preparados tanto tecnologicamente como profissionalmente para dar conta das demandas que cada vez serão mais intensas na crescente indústria do petróleo e gás”, destaca o executivo. Para a construção do navio, o Grupo Bravante gerou três mil empregos entre diretos e indiretos.

 

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios