Maior porto do Nordeste volta a ter rota direta com Santos

O trecho entre os portos de Suape (PE) e Santos (SP) voltará a ter serviço expresso de cabotagem (navegação costeira) a partir de junho.

A operação de rota direta entre o maior porto do Nordeste e o de Santos, o mais importante do país, reduzirá o tempo de navegação para três dias, segundo o terminal pernambucano. Hoje, na rota Santos-Suape, as embarcações chegam a levar a oito dias; no sentido inverso são quatro dias.

"Muitas vezes a cabotagem não se viabilizava por causa do tempo [de navegação]. Com caminhão é tudo mais simples, você coloca as mercadorias e, em três ou quatro dias, ela está entregue no destino. O serviço expresso é uma forma de competir com o transporte rodoviário", disse Leonardo Cerquinho, presidente do Porto de Suape.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

Em maio, reportagem da Folha mostrou que, depois da paralisação dos caminhoneiros até fevereiro deste ano, o transporte de contêineres pela costa brasileira cresceu 18%.

Segundo especialistas em logística, o movimento se fortaleceu após a criação da tabela do frete, que acabou encarecendo o transporte rodoviário de cargas em alguns trechos do país, em especial aqueles no sentido de descida (como Nordeste-Sudeste), impulsionando o transporte aquaviário.

A ideia, afirma Cerquinho, é agilizar mais o trâmite naval.

"Buscamos junto ao terminal de contêineres daqui e à Secretaria da Fazenda do estado criar condições para que esse processo ocorra de maneira mais rápida possível."

Para ele, a cabotagem é subutilizada no país, e a capacidade atual permite uma expansão do serviço.

A rota expressa Santos-Suape será oferecida pela Mercosul Line. Procurada, a empresa não comentou.

No passado, a Aliança, empresa especializada no transporte costeiro e concorrente da Mercosul, já chegou a oferecer o serviço expresso na mesma rota. Atualmente, ela faz navegação direta entre portos nas rotas Santos-Salvador, Sepetiba (RJ)-Salvador, Manaus-Pecém (CE) e Pecém-Vila do Conde (PA).

De acordo o Ilos, de junho de 2018 a fevereiro de 2019 a cabotagem cresceu 14,8% doSul/Sudeste para o Nordeste. No sentido inverso, a alta foi de 21,3%.

Anualmente, por transporte rodoviário, sobem de São Paulo a Pernambuco três milhões de toneladas de carga, enquanto no mesmo trecho, em todo o ano passado, subiram 508 mil toneladas via navegação costeira, segundo o Ilos (Instituto de Logística Suplly Chain).

Os setores de alimentos, bebidas, eletroeletrônicos, eletrodomésticos linha branca, móveis e produtos de limpeza são os que mais usam a rota naval e devem se beneficiar do serviço expresso, segundo Suape.

Fonte: Folha SP

Comentários