A Logum Logística, que tem como acionistas Petrobras, Raízen, Copersucar e Uniduto, obteve financiamento de 1,81 bilhão de reais do BNDES para investimentos em infraestrutura dutoviária e de armazenamento do Sistema Logístico de Etanol, informou o banco nesta quinta-feira.

A nova fase de investimentos da Logum financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) permitirá a ampliação do atendimento aos centros consumidores de São Paulo pela empresa, cujo sistema transportou por meio de dutos 2,5 bilhões de litros de etanol em 2017.

O projeto envolve a construção de cerca de 128 km adicionais de dutos próprios a partir de Guararema (SP), divididos em dois trechos novos: um até São José dos Campos (SP), com 36 km, e outro até São Caetano do Sul (SP), com 92 km, passando por Guarulhos (SP).

 

O projeto prevê ainda a implantação de um terminal de armazenagem de combustível em Guarulhos (SP).

Após a conclusão dos novos investimentos, prevista para 2021, a capacidade de transporte de combustível será expandida para mais de 8 bilhões de litros de etanol/ano, afirmou o BNDES em nota.

Com a operação anunciada nesta quinta-feira, a Logum dará continuidade aos investimentos de implantação do Sistema Logístico de Etanol, cuja fase inicial foi apoiada pelo BNDES com recursos de empréstimo-ponte contratado em 2011.

Além da realização de nova fase de investimentos para a expansão de capacidade do sistema, parte do novo financiamento será utilizada no alongamento da dívida do empréstimo-ponte.

O apoio do BNDES corresponde a aproximadamente 54 por cento dos investimentos no projeto, que totalizam cerca de 3,3 bilhões de reais, considerando-se as duas fases.

O Sistema Logístico de Etanol consistirá em aproximadamente 481 km de dutos próprios da Logum e em terminais em Uberaba (MG), Ribeirão Preto (SP) e Guarulhos (SP), com a finalidade de conectar as regiões produtoras do interior de São Paulo e de Minas Gerais aos principais centros consumidores das regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro, através de dutos próprios e de dutos da Petrobras operados pela Transpetro.

Cerca de 353 km de dutos próprios da Logum, entre Uberaba (MG) e Paulínia (SP), e os terminais coletores e de armazenamento de etanol em Ribeirão Preto (SP) e Uberaba (MG) foram concluídos com apoio do empréstimo-ponte e já estão em operação.

A partir de Paulínia, o atendimento às regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro é feito através da utilização de dutos da Petrobras operados pela Transpetro.

"Apenas os novos dutos vão substituir 400 mil viagens de caminhões que ocorrem por ano na região metropolitana de São Paulo", disse em nota o presidente da Logum, Wagner Biasoli.

O projeto está alinhado com o RenovaBio, política pública que traz entre seus objetivos a promoção da expansão do biocombustível na matriz energética nacional.

Em outubro do ano passado, a Odebrecht Transport e a Camargo Corrêa Construções tiveram aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a venda de suas fatias na Logum.

Com a transação aprovada, Petrobras, Raízen e Copersucar ficaram com fatia de 30 por cento cada uma na Logum, que ainda tem como sócia a Uniduto, com 10 por cento.

Fonte: Extra

Comentários

Schottel

Messe Munchen

Assine Portos e Navios

Syndarma

ABTP

Abac

Tche Digital

TMSA

Antaq

Abeam

Sobena

Fenavega Abratec

 

Ecobrasil