Indefinições travam investimentos

Terminais de líquidos focam em importação de combustíveis e aguardam quais serão as estratégias da Petrobras

• Operadores de granéis líquidos acreditam que a recuperação dos volumes movimentados nos terminais portuários será gradativa, mas ainda está sujeita a definições mais claras do mercado. As incertezas giram principalmente em torno da política de preços da Petrobras para o setor de combustíveis e da estratégia da companhia para suas refinarias. Nos últimos dois anos, houve redução do consumo de derivados de petróleo por causa do ritmo mais lento da economia. Os terminais de líquidos estão focados no desenvolvimento do mercado de importação de combustíveis. A avaliação é que o Brasil não tem condições de refinar suficientemente para atender à própria demanda, sobretudo de diesel. Os investidores apontam necessidade de mais segurança jurídica e flexibilidade operacional para maior participação da iniciativa privada em projetos.

Restrito a assinantes