O governo decidiu avançar em mais dois projetos ferroviários para concessão à iniciativa privada, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), da Secretaria-Geral da Presidência.Por meio de nota, o Conselho do PPI declarou que fará, nos próximos dias, uma reunião extraordinária para qualificar o projeto da ferrovia EF-118, uma nova malha de transporte de carga prevista para ligar os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Ferrovia Norte-Sul

Trata-se de um projeto antigo, que já tinha sido anunciado pela ex-presidente Dilma Rousseff. A ferrovia teria extensão total de 578 km, dos quais 404 cortariam o Rio de Janeiro. Seu objetivo é interligar os complexos portuários dos dois Estados. Em 2015, foi estimada em R$ 7,6 bilhões.

 

Outro projeto antigo será objeto de um "projeto de engenharia", de acordo com o PPI. O trecho final da Ferrovia Norte-Sul, que liga Açailândia (MA) ao Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no Pará, vai figurar entre as prioridades do PPI. O traçado de 477 km de extensão é considerado um dos mais difíceis da ferrovia e estava previsto desde a retomada das obras da Norte-Sul, em 2006, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O trecho já teve um estudo de viabilidade técnica e econômica concluído pela Valec. Em 2012, a estatal previu um investimento no trecho de R$ 3,7 milhões.

Ao chegar ao porto de Vila do Conde, a Norte-Sul ganharia outra alternativa de saída portuária, saindo pelo Pará. Hoje seu acesso está restrito à Estrada de Ferro Carajás, que segue até o porto de Itaqui, no Maranhão.

Fonte: Estadão

Comentários