Brasmero

Governo busca recursos para ampliar porto do Pecém

Deve estar concluído até o fim de julho o projeto que planeja a segunda ampliação do Terminal Portuário do Pecém, que estima investimentos de R$ 1,2 bilhão em novas obras. Entretanto, mesmo antes do documento estar pronto, o governo estadual já se movimenta para garantir os recursos.
De acordo com o secretário de Infraestrutura, Adail Fontenele, o governador Cid Gomes já externou para os bancos de financiamento as intenções para o porto, e já garantiu respostas positivas de possíveis operações de crédito.
"Cid Gomes apresentou os planos para o BID [Banco Interamericano de Desenvolvimento] e o Bird (Banco Mundial], e o Bird se apaixonou por esse projeto, e pediu ao governador que reservasse pra eles os estudos de modelagem de como isso vai ser feito", informa Adail.
Essa modelagem, explica o secretário, estudará como será feito o arranjo financeiro para a execução do projeto. "Ela vai mostrar se a ampliação do porto será feita toda com dinheiro público, de caixa do Tesouro, federal e estadual; ou se vai ser misto, com empréstimos; ou se vai ser misto com participação privada, a famosa PPP [Parceria Público-Privada]. Alguma parte dela poderá ser feita com essas parcerias. Isso é muito viável: o investidor vem, faz um píer daquele, e com a operação, ele se ressarce", esclarece.
A nova ampliação do porto pretende dotá-lo da infraestrutura necessária para projetos já esperados para o Estado, como a siderúrgica, a refinaria e a Ferrovia Transnordestina.
Tmut
Atualmente, o Porto do Pecém já está em processo de ampliação. A implantação do Terminal de Múltiplo Uso (Tmut) já está em curso desde janeiro de 2009.
Entretanto, antes previsto para estar concluído em dezembro deste ano, o novo terminal só deverá estar completo em março de 2011, segundo informa Adail Fontenele. "Mas, no fim do ano já tem um píer, e já dá pra passar o transporte de contêiner por ele", pondera. Desta forma, ainda neste ano já será possível reduzir as operações do Píer 1, onde atualmente é feito o transporte de carga geral do porto.
Esta atividade passará a ser realizada no Tmut, e o Píer 1 será destinado, exclusivamente, para o transporte de produtos siderúrgicos, com o transporte de minério de ferro para a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e para a termelétrica. "Com o TMUT amplo, é possível aumentar em até cinco vezes o movimento de cargas para o Porto do Pecém. Em números absolutos, isso quer dizer que a movimentação poderá passar de 150 mil contêineres por ano para até 750 mil.
Para a construção do terminal, está sendo feita a ampliação do quebra-mar em 1 mil metros, o que o deixará, ao final, com 2.700 metros. Isto deixará os navios mais abrigados das ondas do mar, reduzindo, ou mesmo excluindo, as conhecidas ondas swell.
As obras estão recebendo um investimento de R$ 372,5 milhões, além de outros R$ 36,6 milhões que foram utilizados nas camisas metálicas de revestimento dos pilares e das pontes.
Quando concluído, o cais acostável e os seus dois berços de atracação contínuos, com extensão total de 700 metros de comprimento, poderão acomodar navios contêineres de última geração.

Fonte: Diário do Nordeste (CE)/SS


Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios