GNL em expansão

Fonte atrai investimentos para infraestrutura pela costa e distribuição no interior. Cabotagem é opção
O gás natural liquefeito (GNL) é uma fonte com potencial de continuar a atrair investimentos para geração de energia e distribuição de gás no interior do país e pela costa brasileira. Os projetos em desenvolvimento e as recentes parcerias privadas preveem logísticas multimodais para levar o gás até regiões menos assistidas, além de poder fomentar o transporte desse produto por cabotagem. O mercado tem perspectivas de que a oferta de gás possa até dobrar nos próximos 10 anos, o que poderia tornar os preços mais competitivos. A queda brusca do barril de petróleo e a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), porém, trazem incertezas neste começo de 2020.

Para o sócio-fundador e diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, o gás como um todo vive um bom momento para os negócios no mundo e no Brasil. Segundo o consultor, o GNL conquistou o mercado asiático, principalmente países como China, Japão e Coreia do Sul. No Brasil, o avanço está associado ao desenvolvimento dos campos do pré-sal nos últimos anos. Pires acredita que o Brasil vai se aproveitar desse momento e lembra que o país tem projetos interessantes de GNL e grandes reservas de gás no pré-sal.

Restrito a assinantes