Força-tarefa vai garantir escoamento pela BR-163

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) enfatizou a importância das obras da BR 163 no Pará, incluídas na Operação Radar II detalhada nesta quarta-feira (30) pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, com o objetivo de escoar a safra 2018/2019. “Essa rodovia 163 é o eixo principal do escoamento de grande parte da produção, que a cada ano tem aumentado na saída pelo Arco Norte, os portos da região”, disse a ministra.

A BR 163, mais conhecida como Rodovia Cuiabá-Santarém, começou a ser construída na década de 1970 no estado mato-grossense, mas hoje se estende do município gaúcho de Tenente Portela até Santarém (PA). Ao todo, são 3.470 km de extensão. Em março de 2014, dois trechos foram privatizados — um em Mato Grosso do Sul e outro em Mato Grosso. No Pará falta asfalto, o que causa prejuízos ao escoamento da produção agrícola de Mato Grosso, o maior produtor de grãos do país.

“O Mato Grosso, como todos sabem é o maior produtor de grãos do Brasil. Das 237 milhões de toneladas de produção estimada para este ano, 63,4 milhões devem ser produzidas no estado”, lembrou Tereza Cristina.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

Na Operação Radar está prevista uma inspeção diária na BR, com o objetivo de atuar de forma preventiva ou emergencial a fim de garantir trafegabilidade e evitar impactos gerados pelas chuvas na região.

A ministra destacou o trabalho integrado dos ministérios para melhorar o escoamento da produção de grãos. "Neste governo, todos trabalham juntos. Não há vaidades".

São três bases operacionais em trechos da BR, com equipes de campo do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) e do Exército, com veículos, equipamentos e sinalizadores. As bases foram instaladas entre os municípios de Novo Progresso e Moraes Almeida, no Pará.

Segundo o ministro da Infraestrutura, o governo trabalha para concluir até o fim deste ano cerca de 100 quilômetros do trecho não pavimentados entre a divisa de Mato Grosso e Santarém. Segundo ele, a 163 será preparada para concessão juntamente com pequeno trecho da BR-230, que faz a ligação ao Porto de Mirititituba, no Rio Tapajós, em Itaituba (PA).

Tarcísio de Freitas divulgou ainda que deverão ser renovadas concessões de ferrovias e a previsão de realizar leilões de concessão da Ferrogrão, que Tereza Cristina, destacou ser fundamental para a produção, e a Fiol, também conhecida como Ferrovia Oeste-Leste. O trecho passa pela Bahia e Tocantins, ligando o Porto Sul, em Ilhéus à Ferrovia Norte-Sul. O projeto da Ferrogrão prevê uma ferrovia longitudinal formando corredor de exportação pela Bacia Amazônica, numa extensão de 1.142 quilômetros, conectando o Centro-Oeste ao Porto de Miritituba.

Comentários

 

 

Reportagens da edição 702

Presença a bordo

08 Jul 2019 18:07 Navegação

Empresas pedem manutenção das vagas na formação para não faltar marítimos. Sindicato cobra equilíbrio entre oferta e demanda • O mercado de navegação no Brasil apresenta oferta de marítimos superior à...

Legal Seminar

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

Considerado o mais importante mercado “offshore” fora do Mar do Norte, o Brasil também atraiu a atenção de armadores noruegueses em evento paralelo • A primeira apresentação deu uma visão das...

Mercado de gás

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

As oportunidades no setor de gás no Brasil também foram debatidas no evento.  A superintendente de Oléo e Gás do estado do Rio de Janeiro, Cristina Pinho, deu um quadro...

Brasil na Nor-Shipping

08 Jul 2019 18:07 Indústria naval

Pela terceira vez o Brasil promove um seminário durante o evento • Se neste ano o clima do evento em geral já era mais leve que nas edições anteriores, no caso...

Kincaid

Assine Portos e Navios

Pesa

Tche Digital

Seminário de Metanol

Aapa

Abeam

Sobena

Sinaval Abratec