Ecobrasil 2019

Executivos do setor privado são cotados para diretoria da Docas

Dois executivos do setor privado – vindos da sucroalcooleira Raizen e da Triunfo Participações e Investimentos, atuante no segmento de infraestrutura – estão cotados para integrar a nova diretoria da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). Eles e o futuro presidente da empresa se reuniram ontem, na sede da estatal. Mesmo antes da nomeação oficial, os três tiveram acesso a informações do departamento jurídico e de outros setores, o que preocupa funcionários da empresa.

No início do mês, o Ministério da Infraestrutura anunciou a indicação do engenheiro Casemiro Tércio Carvalho para a presidência da Docas. Porém, apesar do executivo já ter sido aprovado pelo Comitê de Elegibilidade da Casa Civil, a pasta não encaminhou oficialmente o nome do indicado para a aprovação do Conselho de Administração (Consad) da Autoridade Portuária. Com isso, ele continua sem vínculo com a empresa.

Ontem, Carvalho estava na Docas acompanhado do advogado Danilo Veras, que deve assumir a Diretoria de Relações com o Mercado e Comunidade. Atualmente, o executivo ocupa o cargo de gerente de Novos Negócios em Infraestrutura da Raizen, uma joint venture entre a Cosan e a Shell.

Futura diretora, a engenheira civil Jennyfer Tsai também participou de reuniões na Autoridade Portuária. Ela, que atuou com Carvalho na Companhia Docas de São Sebastião (CDSS), é responsável pela área de Desenvolvimento de Novos Negócios na Triunfo Participações e Investimentos. Segundo informações apuradas pela Reportagem, ela será a nova diretora de Engenharia da Codesp.  

Os três se reuniram com representantes do departamento jurídico da Autoridade Portuária. Enquanto isso, os atuais diretores participavam de reunião da diretoria-executiva da estatal.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

“Os funcionários não sabem o que fazer. Fica a dúvida: devem atender todos os pedidos de pessoas que não tem absolutamente nenhum cargo na empresa ou devem ignorar? Foi pedido o currículo de todos os gerentes, superintendentes e assessores, mas ninguém conhece essas pessoas e seus currículos. Todos vêm da iniciativa privada e estamos começando a ficar preocupados”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Portuária, Everandy Cirino dos Santos.  

Para o sindicalista, falta articulação dos deputados federais eleitos pela região para a aceleração do processo de nomeação. “O que não pode é que a empresa e os funcionários sejam penalizados. E se amanhã ninguém fica? Tiveram acesso a documentos oficiais?” Fontes ligadas ao Ministério da Infraestrutura afirmam que os dados debatidos nas reuniões dos futuros diretores não seriam públicos.

Transição

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Codesp afirmou que “o futuro diretor-presidente, Casemiro Tércio Carvalho, está em reuniões preparatórias, em que estão sendo tratados assuntos de transição, com a participação da atual presidência, e sem nenhum tipo de comprometimento ao planejamento estratégico da Companhia”.

Fonte: A Tribuna

Comentários