MSC

Entrada de grandes empresas no Sul fortalece galpões logísticos

Vacância nos três estados do Sul é baixa; empresas de varejo que ainda não atuam online precisarão correr

A transformação do varejo e a adesão dos consumidores brasileiros pelo e-commerce têm impulsionado as locações de galpões logísticos fora do eixo Rio-São Paulo, principal filão das operações. Na corrida para entregar mais rápido e em outros lugares do país por meio do last-mile (última milha), grandes empresas, como Mercado Livre, Amazon e Madeira Madeira, aportam suas operações na Região Sul e apostam em condomínios logísticos estruturados e estratégicos para atender a demanda do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

De acordo com levantamento da Sempre Soluções Imobiliárias, a vacância nos três estados está baixa. Em Santa Catarina, não há opções de locação na Grande Florianópolis e o mesmo ocorre na região de Itajaí, com estoque zerado. As poucas vagas aparecem em Curitiba e Porto Alegre, mas já com pré-locações para o fim do ano.

“Houve um crescimento expressivo com a entrada de grandes companhias na região e essas empresas são atualmente os maiores demandadores de espaço. O tempo de entrega e custo do frete são fatores de escolha de compra dos consumidores e por isso aqueles varejistas que ainda entregam com prazos superiores a três, cinco ou mais dias terão que agilizar seus processos. Por isso, já estamos vendo uma busca maior não só nas grandes metrópoles do Sul, como também pelo interior, em cidades polos”, analisa João Carlos Fernandes, diretor de operações logísticas da Sempre Soluções Imobiliárias.


Logcomex


A desenvolvedora e administradora de condomínios logísticos Capital Realty já sente essa busca crescente pelas grandes empresas. Somente nos últimos dois anos a empresa recebeu grandes operações, como as do Grupo Boticário (no condomínio logístico Mega Curitiba, em Campina Grande do Sul, região metropolitana da capital) e Madeira Madeira (em Itajaí, Santa Catarina).

Crescimento no Sul vai continuar

De acordo com o estudo divulgado pela E-bit Nielsen, as vendas por e-commerce em 2021 tendem a continuar em crescimento. O levantamento prevê que o segmento cresça 26% em relação a 2020. Para lembrar, em 2020, o comércio eletrônico avançou 41%. O diretor de operações logísticas da Sempre Soluções Imobiliárias aposta em crescimento ainda maior para os próximos anos no setor de galpões no Sul.

“A entrada de grandes empresas na região fará com que outros players do varejo se movimentam, como por exemplo uma grande startup de alimentos, que este ano já absorveu áreas grandes em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador e que planeja sua entrada no Sul do Brasil para o segundo semestre. Quem ainda está fora do varejo precisará entrar, pois milhares de empresas online foram criadas na pandemia, e elas buscarão ainda mais espaço”, diz Fernandes.

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios