Duas dragagens programadas

O governo estadual planeja uma dragagem paliativa para dar mais condições à hidrovia Kurt Gern. A primeira hidrovia catarinense é a usada pelo JetBus. No dia 16, a Secretaria Regional de Desenvolvimento (SDR) abrirá os envelopes com a documentação das empresas concorrentes. Antes disso, no dia 13, a SDR fará visita técnica para apresentar os trechos às empresas.

A ideia é que a obra (R$ 150 mil) remova sedimentos de dois trechos que somam 645 metros de extensão no Cachoeira e na lagoa do Saguaçu. A retirada será parcial ? os sedimentos serão depositados nas margens, e apenas as áreas centrais serão aprofundadas. ?A dragagem será em pontos críticos do Cachoeira - como entre o Mercado Público e a ponte do Trabalhador?, diz o diretor executivo da SDR, Fernando Camacho.

Cerca de 9 mil m³ podem ser retirados. A Secretaria de Desenvolvimento Regional dividiu a obra em duas etapas. Se um outro projeto sair antes, a segunda etapa da SDR deve ficar no papel.

O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) quer captar quase R$ 8 milhões do Ministério da Integração Nacional, de um programa de prevenção a cheias. Segundo o presidente do Deinfra, Romualdo França Junior, o dinheiro é alto porque ?o volume a ser removido é grande?. O empenho saiu na semana passada. A dragagem vai retirar de vez cerca de 150 mil m³ em sedimentos, em diversos pontos do rio.

OUTRA ROTA A CAMINHO

A empresa responsável pelo transporte deve participar da concorrência em Paranaguá (PR). Se ganhar, cogita comprar outro barco para as águas paranaenses.(Fonte: A Notícia - Jornal de Joinville - Joinville)

Comentários