Navalshore

Dragagem do Mucuripe começa em 30 dias

Obra no porto do Mucuripe permitirá que navios de maior porte atraquem em Fortaleza
De acordo com Pedro Brito, a previsão é de que as obras estejam finalizadas até o fim de janeiro do ano que vem
Niterói Esperadas desde 2008, as obras da dragagem (retirada de areia do mar) na região do Porto do Mucuripe devem começar dentro de 30 dias. O prazo foi dado ontem pelo próprio ministro dos Portos, Pedro Brito, em Niterói (RJ), durante a solenidade de lançamento do navio Celso Furtado ao mar. "Nossa previsão é de que demore seis meses, devendo estar tudo pronto até o fim de janeiro de 2011", explicou Brito, que esteve no evento representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Atualmente, a empresa Bandeirante, vencedora da licitação para executar a obra ao preço de R$ 54,6 milhões, está tendo a sua documentação avaliada pela Comissão de Licitação da Secretaria Especial de Portos (SEP) para, em seguida, o ministro Pedro Brito homologar o resultado e publicá-lo no Diário Oficial da União (DOU). Por enquanto, o porto não tem condições de receber navios de grandes calados (parte da embarcação que fica submersa). Já o novo terminal de passageiros do Mucuripe, que atualmente tem seus projetos básico, executivo e licenciamento ambiental em fase de execução, deve ter o processo licitatório iniciado em janeiro e as obras começadas em julho de 2011. O Porto do Mucuripe deve sofrer profundas transformações até 2014. Passará por obras de infraestrutura com o objetivo de consolidar o turismo cearense, sobretudo para atender às exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para a Copa do Mundo de 2014.
Perda
Pedro Brito comentou ainda a perda do estaleiro Promar para o Ceará e saiu em defesa da área do Titanzinho para receber um próximo equipamento deste porte. "Aquela é uma área degradada, abandonada, que não tem nenhuma função", disse ele referindo-se à praia situada no bairro do Serviluz, em Fortaleza. Para o Estado como um todo, ele classificou como "irremediável". "Estamos jogando fora 10 mil empregos". Otimista, Brito projeta que nos próximos cinco anos a indústria naval brasileira poderá concorrer com as mais fortes do mundo, as asiáticas da Coreia do Sul, China e Japão, em competitividade.
BAHIA QUER PROMAR
Jacques Wagner visita Haddad
Depois que o Ceará descartou o Estaleiro Promar Ceará e à medida em que se aproxima a data limite - 30 de junho - para apontamento à Transpetro do local para instalação do equipamento naval da PJMR, acirra-se à disputa de alguns estados do nordeste e do sudeste do País. Ontem, o governador da Bahia, Jacques Wagner, visitou o empresário sócio do Promar, Paulo Haddad para conhecer o projeto e discutir a possibilidade de o empreendimento aportar em praias baianas.
A pretensão baiana ocorre poucos dias após o governo de Pernambuco ter reservado área de 80 hectares, sem licitação, para o projeto, previsto original e exclusivamente para a praia do Titanzinho, em Fortaleza. Procurado pela reportagem, Paulo Haddad confirmou a liberação do terreno, mas desmentiu boato de que assinaria contrato com o governo pernambucano, no dia 11 próximo, no Porto de Suape.
"Pernambuco já liberou a área e está tentando conseguir a licença ambiental (prévia de instalação)", informou o empresário, sem revelar, no entanto, para onde deverá ir o estaleiro, avaliado em US$ 130 milhões. Conforme disse, "muitos estados estão no procurando, mas vamos para onde apresentarem as melhores condições".
Sem refutar Estado algum, Haddad revelou apenas que o "Maranhão precisa de um estaleiro grande e não um pequenininho como o meu" e a área reservada no Porto de Suape seria para outro estaleiro, da STX Europe, empresa sócia do Promar Ceará.
"Estamos avaliando todas as possibilidades e no dia 30 vamos apontar a área para onde vamos", desconversou.
LÍVIA BARREIRA*


    GHT     Jan de Nul     Antaq
             

Hidromares

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios