Great Ocean

Demanda por frete rodoviário no Agronegócio tem incremento de 6,5% no acumulado de janeiro a outubro, revela Repom

Movimentação de cargas apresenta crescimento em comparação ao mesmo período do ano anterior, mas recua frente ao apanhado até setembro. Baixa é característica da movimentação das safras

Segundo o Índice de Frete e Pedágio Repom (IFPR), a demanda por frete rodoviário no agronegócio teve incremento de 6,5% ao considerar o acumulado do ano - de janeiro a outubro de 2020. A movimentação no transporte de cargas apresenta crescimento em comparação ao mesmo período do ano anterior, mas recua frente ao acumulado até setembro, quando apresentou aumento de 9,5%.

A Repom, empresa que atua em soluções de gestão e pagamento de despesas para frota própria e terceirizada da Edenred Brasil, traz mensalmente os dados e as análises do período. Ao analisar o mês de outubro, no comparativo com o mesmo período em 2019, foi possível notar uma queda de 18,8% no volume de fretes rodoviários. Se comparado ao acumulado do ano, até o mês de setembro, houve um aumento de 4,6%.

Ao considerar o setor de indústria e varejo, houve um aumento de 8,6% nas demandas por frete nos 10 meses deste ano, comparado ao mesmo período do ano anterior. Os números são reflexo da retomada das atividades econômicas no país. “Como previsto, o mês de outubro continuou com forte ritmo, somando 9,7% de incremento, porém já apresentando algum recuo frente a setembro, mês que apresentou 19,9% de aumento no ritmo de transporte de cargas, caso bastante pontual na retomada da economia. A previsão é de mais redução no ritmo em novembro, já que, historicamente, é um mês menos ativo durante o ano”, pontua Thomas Gautier, head de Mercado Rodoviário da Edenred Brasil.



Tendo em vista as atividades das principais cidades portuárias do Brasil, houve uma redução significativa no número de fretes, 19,3% a menos do que o mesmo período do ano passado, com maior relevância de baixa no Porto de Itajaí - SC, que apresentou diminuição de 56% no volume de fretes e, no Porto de Santos – SP, que registrou recuo de 38,8%, mais que o dobro da baixa do mês anterior. “O destaque positivo continua com o Porto de Suape, em Pernambuco, que registrou alta de 171% frente a 2019, mas apresentou recuo com relação a setembro, quando o número ultrapassou os 400%”, completa o executivo.

O IFPR é um estudo mensal que atualiza o cenário do frete rodoviário e também das passagens nas praças de pedágios das principais rodovias brasileiras, levantado pela Repom, que intermedia mais de 30 milhões de transações por ano, com mais de 1 milhão de caminhoneiros em sua base.


Marintec Navalshore