Workshop Tomada de decisão - investimento em portos

Codeba investe em tecnologia de ponta e Bahia terá portos mais modernos

Os portos públicos da Bahia irão  passar por um grande processo de mudança nos próximos anos. A Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba) está investindo em modernização tecnológica,  automação e novas  soluções para operação e gestão dos portos de Aratu-Candeias, Salvador e Ilhéus. As alterações buscam tornar o trabalho nessas estruturas  mais eficiente e rápido, além de promover uma maior rotatividade de navios nos locais, aumentando a capacidade e reduzindo investimentos das empresas.

O processo começou  em 2018 com preparativos para que as soluções fossem implantadas neste ano. Um novo sistema de gerenciamento de tráfego será implantado. Trata-se de um processo  semelhante ao sistema de controle de tráfego aéreo. Está previsto ainda  a instalação de softwares e hardwares para agendar o acesso de caminhões nos terminais  para sincronizar as datas de chegada dos navios e das cargas nos portos, o chamado Sistema Portolog.

A Codeba ainda ganhará o Sistema Eletrônico de Informações, que vai gerir  processos e documentos eletrônicos. Este sistema  poderá  ser acessado remotamente. É prevista uma integração da base de informações de gestão da Codeba com compartilhamento com todos os setores da companhia.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

“Na gestão, a ideia é ter um sistema de gestão portuária integrado, juntando todos os controles e atividades-fins. Esse sistema vai se integrar tanto ao controle e segurança de tráfego de navios, a chegada, a cobrança, os controles de acesso terrestre, a pesagem, o agendamento, a base do cliente, dentre outros”, explicou o diretor-presidente da Codeba, Rondon Brandão do Vale.

De acordo com ele, estes  investimentos tornam a operação eficientes e rápidas, além de torná-las mais rentáveis. “O que se busca hoje é adotar soluções inteligentes e de gestão porque você consegue ampliar a capacidade de movimentação sem necessariamente ter que investir de imediato um volume significativo de recursos. É uma utilização eficiente de recursos”, afirmou o diretor-presidente da Codeba.

Um seminário realizado nesta sexta-feira (15) debaterá sobre o tema, das 8h às 19h. O evento, que é gratuito (clique aqui para se inscrever), ocorrerá no Terminal Marítimo de Passageiros de Salvador, na Avenida da França, no Comércio. 

Impactos 

Dentre os impactos práticos estão, por exemplo, uma maior rotatividade dos navios no porto. Os donos dos navios pagam pela hora em que estão atracados. Uma maior eficiência diminuiria os custos de atuar nos equipamentos da Bahia e, dessa forma, irá atrair mais empresas.

Já foram instalados um Núcleo Ambiental e de Segurança e Saúde do Trabalho (NASST) no Porto de Salvador para o desenvolvimento das atividades, dos arrendatários, operadores, empregados e outros agentes. 

Outro investimento realizado pela Codeba é em capacitação de profissionais, além de uma mudança na estrutura organizacional e na política salarial. Alguns profissionais da Codeba passarão por cursos  de capacitações, a partir de uma parceria com o Senai/Cimatec.

O guarda portuário Anderson Palmeira foi um dos profissionais contemplados com essa política. Ele fez uma especialização em Gestão Portuária após dois anos de ter entrado no cargo. Anderson fez concurso público para guarda portuário em 2010, sendo contemplado em 2014. Em 2016 ele iniciou um MBA no Senai/Cimatec que foi totalmente custeado pela Codeba. Antes de entrar na área de portos, Anderson era trainee na Braskem, onde conheceu toda a região portuária de Salvador e resolveu fazer o concurso para a empresa pública.

Fonte: Correio 24h

Comentários