Em viagem a São Paulo nesta semana, o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Carlos Vilar, reuniu-se com Lin Li, CEO da gigante CCCC (China Communications Construction Company), e os diretores Eduardo Viegas, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios, e Helder Dantas, diretor executivo, para retomar as negociações com o grupo chinês quanto ao interesse em investir no Porto de Suape. Os empresários chineses se disponibilizaram a iniciar as tratativas sobre a conclusão da Ferrovia Transnordestina, no trecho Salgueiro-Suape, uma vez que o grupo também pretende concorrer para construir o terminal de minérios, cuja viabilidade do projeto depende do funcionamento da ferrovia.

Em reunião anterior, quando estiveram na sede do porto pernambucano, o presidente Vilar apresentou o projeto do futuro terminal de minérios. “Nós não podemos ficar parados, esperando que o empresário procure o porto. Vi que eles já haviam feito uma avaliação, entre 2010 e 2012, por meio de uma empresa pertencente ao mesmo grupo, sobre esse projeto, mas que ficou parada muito em função da não conclusão da Transnordestina”, disse Vilar.

De acordo com o presidente, Suape está aberto às negociações e aos investimentos do grupo chinês que já atua neste setor no Brasil há algum tempo, a exemplo do Porto de São Luís, no Maranhão, e as recentes negociações com o Terminal Graneleiro de Babitonga (TGB) em São Francisco do Sul (SC), com investimentos de R$ 1 bilhão.

 

Em Pernambuco, há uma enorme preocupação quanto à retomada dos trabalhos para a conclusão da Ferrovia Transnordestina e a chegada ao seu destino no estado, que é o Porto de Suape. Segundo o novo cronograma da obra, divulgado pela concessionária Transnordestina Logística (TLSA), será priorizado o trecho Piauí-Porto de Pecém (CE), com término previsto para 2021, enquanto que o trecho Salgueiro-Suape só seria concluído em 2027. Na avaliação do presidente Vilar, isso inviabiliza investimentos tanto do setor público quanto privado no porto pernambucano, com perdas incalculáveis para a economia e o desenvolvimento socioeconômico do estado.

“Suape está pronto para lutar sem medir esforços para conseguir que a Transnordestina seja concluída também na parte que contempla o complexo industrial portuário do estado. Devemos nos reunir nos próximos dias com o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio Monteiro para discutir as demandas do porto e, principalmente, buscar ajuda quanto a esta questão da ferrovia”, concluiu Vilar.

Para o CEO do grupo CCCC, Lin Li, essas negociações com o governo são importantes para viabilizar todo e qualquer investimento. Será necessário, ainda, procurar o grupo de mineradoras instaladas no Estado do Piauí, de onde deverão partir os trens com o minério - carga que justificaria o investimento - com destino à ilha de Cocaia em Suape, onde deverá ser construído o terminal, numa área de aproximadamente 75 hectares. Lin Li sinalizou forte interesse em concretizar a parceria com Porto de Suape.

Ao fim do encontro, o presidente Carlos Vilar se viu otimista quanto à reunião e o avanço da retomada das negociações com os chineses. Segundo ele, há um positivismo a partir do novo governo, tanto estadual, com a renovação do mandato do governador Paulo Câmara, quanto na esfera federal, com o governo Jair Bolsonaro, no qual acredita que vai colaborar com a abertura necessária aos investimentos nos portos brasileiros, e Suape se encontra inserido nesse contexto.

Fonte: Ascom Suape

 

Comentários


Cash Computadores



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec