Brasil não pode ter só BNDES para financiar infraestrutura, diz Dilma

Envie para: Envie para o Del.icio.us Envie para o Digg Envie para o Reddit Envie para o Simpy Envie para o Yahoo My Web Envie para o Furl Envie para o Blinklist Envie para o Technorati Envie para o Google Bookmarks Envie para o Stumble Upon Envie para o Feed me links Envie para o Ma.gnolia Envie para o Newsvine Envie para o Squidoo
Índice da edição - Maio Índice Texto anterior - Bomba em estação de trem deixa um morto na Rússia Texto Anterior | Próximo Texto Texto Anterior
PEDRO SOARES
da Sucursal do Rio
A pré-candidata do PT à Presidência e ex-ministra Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira que o Brasil "não pode se contentar com uma única fonte de financiamento de longo prazo", citando o BNDES, se quiser desenvolver a infraestrutura do país.
Ela defendeu a criação de outros mecanismos como fundos garantidores de crédito e fundos setoriais --e citou o exemplo do Fundo de Marinha Mercante.
Dilma disse ainda que o país entra agora numa fase em que precisa "de agregação de valor a suas exportações" e que é necessário ainda um maior acúmulo de poupança, tanto privada quanto pública, para fazer frente à necessidade de mais investimentos. O objetivo que o país tem que perseguir, segundo ela, é uma taxa de investimento superior a 20% do PIB (Produto Interno Bruto).
Paralelamente, a candidata disse que o Brasil não pode descuidar da área fiscal e defendeu a necessidade de redução da relação dívida/PIB e do deficit nominal do país --hoje em 3,5% do PIB. Somente com isso, afirmou, será possível elevar os níveis de poupança pública.

(Fonte: Folha Online)

PUBLICIDADE

Rimac



Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios