AdvertisementAGI Brasil

Baixa atratividade

Excesso de regulação e insegurança jurídica afastam investidores e mantêm áreas nos portos ociosas

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), realizada no final de maio, apontou alto índice de ociosidade dos portos públicos no país, com a taxa média de 56%. O levantamento evidenciou também a existência de problemas relacionados à atratividade dos portos, indicando uma transferência de demanda para os Terminais de Uso Privado (TUPs). A principal limitação apurada está relacionada ao excesso regulatório nos processos de arrendamentos portuários, que oferece pouca flexibilidade operacional para o investidor, o que prejudica a prestação adequada do serviço no porto.

Restrito a assinantes