Ambientalmente engajados

Intercâmbio entre gestores públicos e privados pode dar mais agilidade à gestão ambiental portuária

• A gestão ambiental no setor portuário brasileiro ainda tem muitos desafios a serem superados em meio a um cenário com projetos de expansão e novas tecnologias, mas que convive com a morosidade e restrições no orçamento que atrapalham a tomada de decisões nos portos organizados. Nos últimos anos, porém, gestores ambientais de autoridades portuárias e de terminais de uso privado (TUPs) têm se aproximado em busca de avanços no campo ambiental a partir do Índice de Desempenho Ambiental (IDA) da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). O indicador, criado em 2012, possui um ranking e uma premiação, que atualmente ocorre a cada dois anos.

Restrito a assinantes