Brasmero

Agricultores de Mato Grosso tem encontrado dificuldade para escoar a safra de soja

Agricultores de Mato Grosso tem encontrado dificuldade para escoar a safra de soja. Com o aumento da produção, estão faltando caminhões para transportar os grãos.
Com a colheita da soja a pleno vapor em Mato Grosso, as estradas estão cheias de caminhões. Se por um lado o produtor está satisfeito com a safra, que cresceu este; por outro, reclama do preço do frete, que está uma média de 25% mais caro.
Para transportar uma carga de Rondonópolis, no sul de Mato Grosso, até o Porto de Paranaguá, no Paraná, o agricultor paga uma média de R$ 170 por tonelada. Invertendo em sacas de soja, significa que ele gasta R$ 10,20 por saca transportada. A saca na região está saindo por R$ 26,80. Portanto, o produtor gasta com o frete 38% do que ganha com a venda da soja.
Entre outros fatores, o frete está alto por causa da ma condição das estradas no Estado de Mato Grosso. Foi o que explicou Adelino Bissoni, diretor de uma das principais transportadoras da região. “As estradas estão cada dia pior. Isso faz com que a viagem demore. A fila nos portos”, disse.
Mas não são apenas as condições precárias das estradas que contribuíram para este aumento. Outro fator tem preocupado os agricultores. Tem faltado caminhões para levar a produção até os portos e os terminais rodoviários.
Apenas em uma transportadora da região são 120 carretas. O número está sendo insuficiente para atender aos pedidos.
O agricultor Sérgio Mattei já colheu 60% dos 18 mil hectares de soja no sul do Estado, mas encontra dificuldades para retirar o produto da fazenda. “Não estou encontrando caminhões. Quando encontro o preço é muito alto. Eles querem mais que o dobro do preço para puxar o produto nosso na lavoura”, falou.
De acordo com a ATC, Associação dos Transportadores de Carga de Mato Grosso, existem hoje cerca de dez mil caminhões circulando pelas BRs do Estado para levar os grãos. O diretor Miguel Mendes afirmou que as empresas não tiveram como segurar os preços e reconhece que a quantidade de veículos não é suficiente para atender à demanda.
“Em outras regiões também tivemos super safra. Isso fez com que os caminhoneiros que vinham fazer a safra em nosso Estado acabassem ficando nas outras regiões, onde os fretes estão mais atrativos. O diferencial é que nas outras regiões eles têm uma logística melhor e estradas melhores. Então, acabam incentivados a trabalhar em outros Estados”, esclareceu Mendes.
Mato Grosso deve produzir cerca de 19 milhões de toneladas de soja este ano. São 6% mais que na safra passada. (fonte: Globo Rural)

 

PUBLICIDADE

Rimac



Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios