Mais duas greves de três dias, nas próximas duas semanas, serão deflagradas no Amazonas pelos analistas tributários da Receita Federal. A categoria deve concluir até o fim do dia desta quinta-feira (12) a votação para as novas mobilizações, depois que não tiveram nenhuma reposta do Governo Federal quanto a assinatura do decreto de bônus de eficiência dos mesmos. A paralisação dos analistas vem ocorrendo desde o último dia 3 de abril com o recolhimento de 50% até 70% dos servidores no Amazonas, sempre durante às terças, quartas e quintas.

A categoria também cobra a progressão funcional. A Diretoria Executiva Nacional do Sindicato dos Analistas Tributários da Receita Federal (Sindireceita) que está em contato tanto com a administração da Receita Federal, tanto com a Casa Civil do Governo Federal, local onde está o decreto do bônus de eficiência, ainda não obteve nenhuma garantia de que Michel Temer vá assinar o documento.  

A inercia do Governo Federal levou a categoria a votar a intensificação da greve na próxima semana, agora com atos públicos, inclusive no Amazonas. “Com a casa civil a gente não está conseguindo diálogo. É difícil até a gente ser atendido. Mas queremos só o que é nosso por direito, porque o acordo foi feito. Se não tivesse sido feito a gente nem estaria aqui. A gente só quer que o governo cumpra o acordo”, declarou o delegado do Sindireceita em Manaus, Moisés Hois.

 

Leia também: Servidores da receita federal paralisam atividades no amazonas

A causa uniu as duas categorias, dos analistas tributários e dos auditores fiscais, algo raro de acontecer, em um único ato público realizado na manhã desta quinta em Santos, São Paulo. Lado a lado, os dois presidentes nacionais, do Sindifisco e Sindireceita, cobram a assinatura do decreto do bônus de eficiência, interesse mútuo entre as categorias. No caso dos auditores fiscais.

Aqui no Amazonas a paralisação vai continuar e deve haver também um ato público conjunto dos auditores e analistas com data, local e horário ainda a ser definido. Mas Moisés adiantou que, ao que tudo indica, pode acontecer na quarta ou quinta-feira, no aeroporto ou algum terminal portuário, pela manhã ou em horário com algum voo para chamar a atenção.

A última paralisação dos analistas iniciou na terça-feira (10) até esta quinta-feira (12), paralisando parte do funcionamento dos terminais portuários, a não ser em casos de mandado de segurança. O Centro de Atendimento ao Contribuinte (CAC), está funcionando, mas sem os analistas tributários, no aeroporto Eduardo Gomes os servidores atuam em plantão, mas semana que vem o Sindireceita já deve convocá-los para aderir completamente ao movimento.  

A categoria dos Auditores Fiscais da Receita Federal também sustenta as mesmas reivindicações dos analistas tributários, mas está realizando protestos e mobilizações pontuais pelo país, sendo as principais nos portos de Santos em São Paulo e de Vitória no Espírito Santo. No Amazonas, a categoria chegou a acompanhar a realização da “Semana do Canal Vermelho”, que aconteceu do dia 1º ao dia 7 de abril, que consistia em uma fiscalização muito mais rigorosa, provocando lentidão na liberação de cargas e mercadorias. 

Fonte: D em tempo