O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, encaminhou um ofício ao prefeito de Santos (SP), Paulo Alexandre Barbosa, alertando para as consequências negativas em relação à proibição do transporte de cargas vivas pelo Porto de Santos, localizado no município de Santos (SP). De acordo com a entidade, o projeto que inviabiliza os embarques seria uma barreira às exportações de animais vivos.

Porto de Santos

Santos tem o maior porto do País e é ponto de embarque de rebanho bovino vivo brasileiro para outros países. De acordo com informações divulgadas pela CNA, o texto foi aprovado pelos vereadores e aguarda sanção do prefeito.

 

Exportação de gado vivo

No ofício, o presidente da CNA justifica que a exportação de animais vivos, especialmente os bovinos, é uma atividade mundialmente consolidada e representa um canal de escoamento da produção, além de contribuir para melhorar a rentabilidade do produtor, para a geração de empregos e para a balança comercial brasileira. Leia também: Sociedade Rural Brasileira repudia suspensão da exportação de bovinos por Santos.

“Qualquer medida que afete – ainda que minimamente – a cadeia de exportação já internamente implementada trará imensurável prejuízo e danos irreparáveis, tais como a quebra de produtores de bovinos de corte e o fechamento de empresas exportadoras. Tudo isso, sem falar no abalo sistemático e severo à balança comercial e à economia nacional”, diz o presidente da CNA no ofício.

Fonte: sfagro