Aportes privados no setor portuário esbarram no tempo de licenciamento e na instabilidade regulatória e econômica
• O Brasil tem uma carteira de projetos no setor portuário que aguarda o momento certo para sair do papel. Analistas dizem que os investidores privados nacionais e estrangeiros estão com apetite para investir em terminais de uso privado (TUP) e em arrendamentos. No entanto, o decreto 9.048/17, que atendeu a alguns pleitos antigos dos empresários, não é suficiente para dar a segurança jurídica que os investidores esperam. Os leilões não conseguiram deslanchar e grande parte dos investimentos é feita fora do porto organizado. O tempo de licenciamento ainda é apontado como um dos maiores entraves à viabilidade dos projetos.