O Porto do Pecém deve fechar 2017 com resultados melhores que os do ano passado. Isso porque, no acumulado do ano de janeiro a novembro, a movimentação de carga registrada pela administração do local já é superior em 45% em relação ao mesmo período de 2016.

Somado, o volume total dos 11 meses do ano já soma 14.329.188 toneladas. Para as exportações, o nível quase dobrou em 2017, com o Porto registrando aumento de 97% em relação aos 11 primeiros meses de 2016. Os destaques ficaram por conta das movimentações de placas de aço (2.340.538 t), frutas (168.136 t) e gás natural (121.511 t).

As importações também cresceram, mas em ritmo menos acelerado, apresentando avanço de 33%. O resultado foi puxado pelos volumes recebidos de carvão mineral (4.619.756 t), gás natural (634.829 t) e produtos siderúrgicos (204.803 t).

Para o presidente do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), Danilo Serpa, os números positivos são reflexo do bom momento no cenário internacional e do esforço interno no Estado em garantir novos transações para exportar produtos locais e fechar novos negócios .

"Vivemos um ótimo momento no cenário internacional, estamos tendo visibilidade e potencializando isso para os negócios, com a exportação de produtos de excelente qualidade produzidos no Ceará e em estados vizinhos. Ao mesmo tempo que somos entrada para as importações que têm outros destinos", afirmou o presidente do CIPP.

A movimentação de contêineres foi de 110.162 unidades. A quantidade representa um crescimento de 16% em relação ao mesmo período de 2016.

Balanço nacional

A navegação entre portos brasileiros (cabotagem) cresceu 64%, se comparado ao mesmo período do ano anterior, esse crescimento se deu, principalmente, por conta dos desembarques de minério de ferro (3.785.941 t), produtos siderúrgicos (295.999 t) e arroz (185.558 t). Destacaram-se também os embarques de farinha de trigo (113.551 t), sal (112.164 t), cimentos (59.629 t) e placas de aço (41.359 t).

Fonte: Diário do Nordeste