A APM Terminals Itajaí voltou a receber navios da francesa CMA CGM, terceira maior operadora de navegação marítima do mundo, que não atracava no Porto de Itajaí desde 2015. O navio Magdalena, de bandeira liberiana, atracou na quinta-feira, dia 9 de novembro, e movimentou cerca de 1,1 mil contêineres.

A operação marcou a estreia do serviço Neo Bossa Nova, que faz a rota da Europa e do Oriente Médio, com transbordo de cargas de/para o Norte Europeu e a Ásia. O serviço já operava em Itajaí, com o armador Maersk Line. A inclusão dos navios da CMA CGM e da Hamburg Sud impacta em um maior número de contêineres movimentados pela linha.

"A CMA CGM é um armador extremamente importante nas rotas que conectam a Costa Leste da América do Sul aos principais mercados produtores e consumidores do mundo. O restabelecimento desta parceria abre novas oportunidades para o terminal", destacou Ricardo Arten, Diretor Superintendente da APM Terminals Brasil.

Os tempos de trânsito na exportação são competitivos, alcançando os portos do Mediterrâneo em cerca de 15 dias a partir de Itajaí. “Este é um fator estratégico e diferencial para a exportação catarinense, especialmente se considerarmos os contêineres refrigerados que carregam aves e suínos com destino para a Europa e o Oriente Médio”, explica José Eduardo Bechara, Diretor Comercial da APM Terminals Brasil.

A empresa, que é arrendatária do Porto de Itajaí, está otimista com o retorno do armador francês. A expectativa é atrair mais serviços e armadores para a margem direita do Rio Itajaí-açu em 2018, principalmente a partir do término das obras dos berços 1 e 3 nas próximas semanas, e a conclusão da nova bacia de evolução em abril, possibilitando a atracação de navios de 335 metros.