O secretário da Coordenação de Projetos da Secretaria Especial do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou ontem (19) que o governo estuda a possibilidade de privatizar as Companhias Docas, atualmente sob administração do ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. A companhia do Espírito Santo seria a primeira da lista. No Ceará, a Companhia Docas, que administra do Porto do Mucuripe, em Fortaleza, afirmou que ainda não foi comunicada sobre essa possibilidade e que não sabe dizer de que forma se daria o processo de privatização, se nos moldes dos aeroportos ou em outro modelo. "A primeira é a do Espírito Santo, essa é uma companhia interessante", disse Freitas, durante evento promovido pela Câmara Espanhola de Comércio, em São Paulo. Além da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), o ministério também é responsável por empresas semelhantes em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Pará, entre outros Estados do País.

Processo e prazo

Quanto à modelagem dessa privatização, Tarcísio Gomes de Freitas, representante da PPI, avaliou que o governo ainda estuda a melhor maneira de conduzir esse processo. "Talvez seja algo semelhante à do setor elétrico", comentou.

De acordo com Vanialucia Lins Souto, assessora da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimento (SPPI), não existe um calendário para a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo. "É um setor muito sensível. É um primeiro projeto e que precisa de alinhamento perfeito entre o governo estadual e o governo federal", explicou ao enfatizar que os portos são delegados aos Estados através de regulação própria.

Fonte: Diário do Nordeste










JBusinessDirectory - Offers