Total confirmada como nova operadora de GNL de Moçambique

A Total concluiu a aquisição da participação da Anadarko, de 26,5%, no projeto de GNL em Moçambique por US$ 3,9 bilhões.

A Total assinou em maio um acordo vinculativo com a Occidental para adquirir todos os interesses da Anadarko na África (Moçambique, Argélia, Gana e África do Sul) e aprovações subsequentes pelas autoridades e parceiros.

Este é o primeiro desenvolvimento de GNL em terra em Moçambique, compreendendo uma planta de liquefação para dois trens com capacidade de 12,9 milhões de toneladas/ano e 14,2 milhões de toneladas/ano respectivamente, do gás dos campos de águas profundas Golfinho e Atum na Área 1 na bacia do Rovuma.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

No total, a Área 1 contém mais de 60 trilhões de pés cúbicos de gás. A Total espera que este primeiro projeto inicie a produção em 2024.

Quase 90% do desenvolvimento da produção da primeira fase já foi vendida por meio de contratos de longo prazo com compradores de GNL na Ásia e na Europa.

Além disso, o projeto provavelmente fornecerá gás para o consumo no país.

Comentários

ABB

Assine Portos e Navios

Pesa

Syndarma

OTC Brasil

Tche Digital

Assine Portos e Navios

Aapa

Abeam

Sobena

Sinaval Abratec