Pré-sal vai responder por até 60% da produção neste ano

A Petrobras prevê que a fatia do pré-sal na produção total de petróleo vai subir dos atuais 49% para até 60% neste ano. O diretor de Produção & Exploração, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, lembrou que a meta da estatal é chegar a 2,8 milhões de barris diários de óleo e gás neste ano, patamar que já foi alcançado nos primeiros dias de maio. A partir de agora, a estatal vai divulgar os dados de produção a cada três meses e não mais mensalmente.

No primeiro trimestre deste ano, a estatal registrou produção de 2,5 milhões de barris diários, queda de 5% na produção em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo Oliveira, o recuo ocorreu por conta do volume de paradas programadas e da venda de ativos. Mas, a partir de agora, a tendência é de aumento de produção, ja que entraram em operação sete plataformas nos últimos 11 meses. Além disso, a estatal pretende colocar em operação mais 11 unidades até 2023.

- Tivemos um comissionamento (instalação) das plataformas mais demorado nas novas plataformas, pois são mais complexas. Mas isso já está solucionado E tivemos paradas programadas que foram em maior quantidade. Quando olhamos para o futuro, com as sete novas plataformas, a produção em maio ja está em 2,8 milhões de barris de petróleo e gás. Isso é importante. Vamos entregar nossa meta de produção. No início do próximo semestre, vamos ter mais paradas programadas, mas isso já está dentro de nossa projeção - destacou Oliveira.

Publicidade

 

Petrobras compra pacotes geológicos em Israel e Guiana

Embora a companhia esteja voltada para o desenvolvimento do pré-sal e vendendo ativos no exterior, a Petrobras comprou pacotes geológicos e o geofísicos em áreas de Israel e Guiana. Castello Branco destacou que isso não significa mudança na política da companhia, que é o investimento no país. O presidente Jair Bolsonaro, em visita recente a Israel, disse que a Petrobras poderia investir no país. Perguntado se o investimento em Israel seria por conta de um pedido de Bolsonaro, Castello Branco disse que não.

— Amigos amigos, negócios à parte. Não temos a estratégia de virar uma empresa global. Uma coisa é pesquisa, querendo saber e conhecer mais as características de outros lugares onde são províncias de petróleo e gás não convencional. Queremos conhecer. Não há mudança de politica. No momento, não há intenção de investir fora do brasil. Não temos dinheiro — disse Castello Branco.

Plano de demissão voluntária já está aberto

Eberaldo Neto, diretor de Assuntos Corporativos da Petrobras, disse que o novo plano de demissão voluntária já está aberto. Segundo ele, o foco desse novo plano, que vai até junho de 2020, é atingir os funcionários já aposentados. Para ele, são cerca de 7.460 funcionários elegíveis.

- Esperamos uma adesão de 60% desse grupo. Esperamos uma economia até 2023 de R$ 4,08 bilhões -- disse Eberaldo, lembrando que a Petrobras controladora tem hoje 47,2 mil funcionários.

Fonte: O Globo

Comentários